Logo
  • Notícias

    Deu no D.O.

    A compra de R$ 1,6 milhão de água mineral em Santa Inês a contratação do show de Léo Santa por R$ 400 mil em Estreito são alguns dos destaques da coluna Deu no D.O., publicada pelo blogdogarrone. As prefeituras de Santa Rita, Pinheiro, Arari, Barra do Corda e Nova Olinda completam a edição. A leitura da coluna pode provocar calafrios, arritmia e prisão de ventre.

    Beberrões I – Em Santa Inês, o calor deve ser intenso. Ao ponto de esvaziar rapidamente os tanques dos veículos e deixar seca a garganta das almas vivas.

    Beberrões II – As aquisições de R$ 2.782.093 de combustível e R$ 1.635.249,00 de água mineral realizadas pela prefeitura no mês de março, é enche qualquer um de dúvidas.

    Beberrões III – O petróleo sai das bombas dos Posto Helena LTDA (R$ 1.908.720,00 rateado em 5 contratos), Auto Posto Linhares LTDA (R$ 706.399,00 em 3 contratos) e Posto Maranão LTDA (R$ 166.974,00 em 5 contratos).

    Beberrões IV – Já com o H2O, a prefeitura abriu as torneiras somente para a ZP Noleto; empresa faturou 4 contratos. Curiosamente duas dobradinhas, iguais até nos centavos.

    Beberrões V – Dois de R$ 430.328,70 para abastecer a administração (gabinete) e secretaria municipal de Saúde; e outros dois de R$ 387.295,83 para matar a sede nas secretarias de Desenvolvimento Social e Educação .

    Receita I – Em Pinheiro a população toma remédio e quem fica bem de saúde é a Vida Distribuidora e Medicamento LTDA.

    Receita II – A prefeitura aviou contrato com a dita cuja para o fornecimento ‘sob demanda’ de R$ 6,6 milhões em medicamentos.

    Rindo à toa – Em Santa Rita foi outro o remédio que provocou a euforia da ACM Comércio e Serviços LTDA-ME. Faturou dois contratos somados em 2.221.924,50 a titulo de fornecer material de consumo de expediente (R$ 1.063.924,50) e cestas básicas (R$ 1.158.000,00) para a de Desenvolvimento Social.

    Será a pororoca ? I – Mas quem deve ocupar todas as manchetes é a Câmara Municipal de Arari, embora não se consiga localizar a sua página oficial na internet.

    Será a pororoca ? II – O certo é que a A. J. Mendes dos Santos Grupo Apoteose foi contratada por R$ 102 mil., “como empresa especializada na Prestação de Serviços Técnicos Contínuos de Assessoria e Consultoria em Comunicação”, para atender as demandas do legislativo arariense.

    Aí tem I – Antes que a gestão acabe ou comece o período vedado em 2024, prefeitura de Barra do Corda tratou logo de “contratar empresas especializadas em locação, impressão e aplicação de outdoors (lona e papel)”.

    Aí tem II – O objetivo é a “divulgação de campanhas municipais e informações turísticas e culturais”. A missão ficou por conta de duas empresas ao custo de R$ 175.950,00.

    Aí tem III – A B.H. Nogueira LTDA arrematou R$ 88.700,00 e a Nova Indústria, Comércio e Serviços LTDA, R$ 87.250,00.

    Aí tem IV – Assinados dia 14 de março e validade até 31 de dezembro, os dois contratos são prorrogáveis por períodos sucessivos.

    A Vida é uma festa I – Enquanto isso, na fronteira do Maranhão com o Tocantins, a prefeitura de Estreito mete bronca em R$ 400 mil e contrata com inexigibilidade de licitação o cantor Léo Santana.

    Vida é uma festa II – Santana será a atração principal do aniversário da cidade, que acontece dia 11 de maio. O cachê será pago em duas parcelas. A primeira na assinatura do contrato e a segunda até 72 horas antes do show.

    Ratoeira – Deve ter muita barata, cupim, ratos e outros bichos rasteiros em Nova Olinda. A prefeitura assinou quatro contratos somados em R$1.083.235,00

    Deu no D.O.

    O Ministério da Saúde adverte: este produto não é recomendável para quem tem problemas cardiovasculares. A coluna Deu no D.O. desta semana desobstrui as artérias das prefeituras de Coroatá, Pedro do Rosário, Imperatriz, Caxias, Araguanã, Santa Rita, Gov. Edison Lobão e Penalva. Se a leitura não provocar taquicardia ou falta de ar, procure um médico.   

    Aifude – A prefeitura de Coroatá não brinca em serviço quando o negócio é encher o bucho. Encomendou da Gilcilene Soares Veras Santos-ME 1 milhão de reais em alimentação preparada e lanches para atender as necessidades do SAMU (R$ 357.800,00); Secretaria de Educação (R$ 311.620,00) e CAPS (R$ 331.000,00).

    Estupefato – O alcaide de Coroatá também caprichou na formação do alunato da rede municipal de ensino. Pensando em prepará-lo para futuros concursos públicos ou mesmo para conquistar vagas nas universidades, a prefeitura adquiriu da Eric Guimarães Araújo-ME 1 milhão de reais em apostilas.

    Chamex – Em plena era digital, a papelada continua correndo solta em Pedro do Rosário. O doutor prefeito aviou R$ 916.224,00 para que a R Correia Nogueira Eireli-EPP forneça material gráfico a serem utilizados no ´desenvolvimento das atividades das Unidades de Saúde do município.

    Petrolão I – Em Governador Edison Lobão, a prefeitura não perdeu tempo. Meteu o garrancho em quatro contratos para aquisição futura de 2 milhões de reais em combustível na bomba e óleo lubrificante no Auto Posto Ribeirãozinho LTDA.

    Petrolão II – Já em Araguanã, a compra de 2,7 milhões de reais em combustível e óleo lubrificante foi com quatro empresas diferentes. A J.F. Torres & Cia arrematou R$ 845.662,50; o Auto Posto Araguanã, R$ 1.136.950,00; a C.O. da Silva Melo & Cia, R$ 749.980,00, e a B.R.V.O. Distribuidora – Eireli ficou com o troco de R$ 13.309,00. Os contratos foram assinados em 24 de fevereiro e o prazo de entrega da gasosa é de 30 dias a partir da emissão da ordem de serviço.

    Petrolão III – Enquanto isso, a prefeitura de Santa Rita precisou de apenas dois contratos para adquirir 1,8 milhão de reais em combustível do Auto Posto Santa Rita.

    Monturo – A imundície em Imperatriz devia estar saltando aos olhos. A prefeitura assinou contrato emergencial, com dispensa de licitação, para que a M Construções e Serviços LTDA fizesse a limpeza pública no município, durante seis meses, por R$ 12.890.461,74.

    Catraio – Na baixada, o diário de bordo da prefeitura de Penalva descreve a rota de R$ 990 mil para a Mavi Serviços e Locações Eireli-ME, empresa contratada para alugar transporte fluvial pelo Sistema de Registro de Preços

    Compensado – Já na região dos cocais, a prefeitura de Caxias resolveu passar o serrote na Ata de Registro de Preços. Adquiriu R$ 313.389,06 em materiais e equipamentos para serviços de carpintaria, destinados à Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social.

     

     

    Cotação de preço em Santa Rita foi feita no Mercado Livre e um mês depois da compra dos respiradores

    Santa Rita: primeiro compra, depois faz cotação de preço no Mercado Livre

    Apuração feita pelo blog revela que a compra de respiradores em Santa Rita, alvo de operação da Polícia Federal, inaugura uma nova espécie jurídica, onde a ordem dos fatores não altera o domínio articulado dos fatos.

    Se a montagem fraudulenta de um simples processo de compra obedece no mínimo uma certa ordem cronológica e aparência de cotação de preço, no município parte do feudo Gonçalo a regra é outra.

    Entre o descaso e o deboche, primeiro assina-se o contrato de compra e depois é que se faz a cotação de menor preço.

    No dia 15 de abril, a prefeitura municipal de Santa Rita assinou contrato de fornecimento de respirador pulmonar com a JJ DA SILVA & SANTOS LTDA, no valor global estimado de R$ 65 mil.

    LEIA O CONTRATO COMPLETO AQUI

    E é só no dia 26 de maio, um mês depois, é que a prefeitura faz a cotação de preço, e vejam só, outra novidade, no Mercado Livre.

    A Operação Falsa Esperança foi deflagrada na última quarta-feira nos municípios de Miranda, Santa Rita e Bacabeira.

    Durante as investigações da PF foram verificados indícios de superfaturamento de equipamentos de proteção individuais (EPI’s) e de simulação na compra de respiradores pulmonores.

    Em Santa Rita e Bacabeira, conforme já demonstrado pelo blog (Aqui), essas compras fraudulentas podem ter sido financiadas por emendas do deputado federal Eduardo Braide.  

    Será a máfia da Mandioca? 

    PF deflagra operação para apurar desvio de recursos para combate ao coronavírus em Bacabeira, Miranda e Santa Rita

    A Polícia Federal, por meio da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros – DELECOR/MA, com o apoio da Controladoria Geral da União – CGU, deflagrou na manhã desta quarta-feira, dia 05 de agosto de 2020, a Operação “FALSA ESPERANÇA”, com a finalidade de desarticular associação criminosa voltada a fraude em licitações e desvio de recursos públicos federais, que seriam usados no enfrentamento do novo coronavírus (COVID-19), nos municípios de Bacabeira, Santa Rita e Miranda do Norte.

    Durante a investigação, foram verificados indícios de superfaturamento de equipamentos de proteção individuais (EPI’s) e de simulação na compra de respiradores pulmonares, que apesar do pagamento antecipado pelas prefeituras de Bacabeira, Santa Rita e Miranda do Norte, nunca foram efetivamente entregues.

    Todas as aquisições foram realizadas com uma única empresa, sediada na cidade de Paço do Lumiar/MA, que nunca havia atuado no ramo médico hospitalar. A investigação revelou que a empresa não tinha nenhum empregado e atuava com a comercialização de acessórios para instalação de aparelhos de ar-condicionado e de energia solar. A empresa tinha um total de 69 atividades secundárias, que variavam desde a confecção de vestuário, segurança privada e até produção musical.

    Cerca de 50 (cinquenta) policiais federais cumprem 04 (quatro) Mandados de Prisão Temporária, e 13 (treze) Mandados de Busca e Apreensão, além do sequestro de bens e bloqueio de contas dos investigados, tendo as ordens judiciais sido determinadas pela 1ª Vara Federal de São Luís/MA.

    Se confirmadas as suspeitas, os investigados responderão pelos crimes de peculato (Art. 312, caput, do CPB), falsidade ideológica (Art. 299, do CPB), fraude em processo licitatório (Art. 90 da Lei nº 8.666/93), superfaturamento na venda de bens (Art. 96, I da Lei nº 8.666/93) e associação criminosa (Art. 288 do CPB).

    As ordens judiciais foram cumpridas em 06 cidades do Maranhão (São Luís, São José do Ribamar, Paço do Lumiar, Bacabeira, Santa Rita e Miranda do Norte).

    A Operação foi denominada “FALSA ESPERANÇA” em referência a expectativa criada na população dos municípios de Bacabeira/MA, Santa Rita/MA e Miranda do Norte/MA de que as gestões municipais teriam adquirido de forma lícita equipamentos contra a COVID-19, e que, ao fim, nunca chegaram a ser efetivamente entregues.

     

    Neto faz justiça e lembra que quem está pagando a obra da ponte de Areias é o governo

    Prefeito escondeu a placa do governo para colocar só a da Prefeitura

    O prefeito Hilton Gonçalo segue botando placas da prefeitura e fazendo vistoria na obra da ponde de Areia, sobre o rio Itapecuru. O que ele está esquecendo de dizer é que a ponte só saiu do papel graças aos convênios estabelecidos com o governo do Estado.

    Essa semana, o deputado Neto Evangelista fez questão de ir a tribuna da Assembleia para lembrar o prefeito de quem de fato garantiu a obra.

    “É uma obra pela qual muito lutamos. Trata-se de uma luta encabeçada pelo meu saudoso pai, João Evangelista e que sensibilizou, também, o governador Flávio Dino e a secretária das Cidades à época, Flávia Alexandrina. Eles, assim como o meu pai, foram incansáveis para que esse sonho começasse a ser concretizado”, contou o deputado.

    Agora resta saber se, depois do chamativo do deputado, o prefeito vai se recordar de onde veio o dinheiro da obra.

    Deu no D.O.

    5 estrelas- Pegando no batente desde o dia 30 de Maio, a Gerenciar Limpeza e Apoio Administrativo LTDA – EPP vai prestar serviços terceirizados, abrangendo as categorias de apoio administrativo, em Codó na prefeitura e nas secretarias de Educação e Saúde, até o dia 29 de dezembro por R$ 15.233.400,00, divididos em três contratos. 

    É só passar o pano – Já em Itapecuru-Mirim a M & F Comércio e Serviços LTDA começou a fornecer material de limpeza para as secretarias de Educação, Administração e Saúde, desde o dia 9 de junho quando a prefeitura aderiu a Ata de Registro de Preços do município de Timbiras, e vai até 31 de dezembro. O rodo, distribuído em 4 contratos, saiu por R$ 1.345.035,94.

    Inquilinato – Ao passar pela Rua Arthur Marques Figueiredo no centro de São João Batista observe com bastante atenção o prédio onde funciona a Secretaria Municipal de Educação, Esporte e Lazer. Ele pertence a Ilma Gardenia Pinto Pinheiro e foi alugado com dispensa de licitação por R$ 144.000,00. O extrato publicado no Diário Oficial não especifica o tempo do contrato.

    Ratoeira – A prefeitura de Pinheiro resolveu acabar com os ratos, baratas, insetos, cupins e outras pragas urbanas e rural em todas as áreas internas e externas dos prédios das Escolas, sede do Fundo Municipal de Saúde, hospitais e outros prédios da administração pública. Ao custo de R$ 923.820,00, o extermínio ficou por conta da V. Costa Vieira & Cia LTDA – EPP.

    Osso a osso – Enquanto isso em Imperatriz, a prefeitura assinou contrato de R$ 5.564.325,52 com a Síntese Comercial Hospitalar LTDA pela aquisição consignada de Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPMS), destinados aos hospitais Municipal e Infantil.

    A Vida é uma festa I – A população de Viana já deve ter agitado bastante em 2017, depois que a prefeitura assinou contratos com as empresas Morais Com. & Serv. Eireli – ME (R$830.850,00), J.I. Marques – ME (R$527.200,00) e K.B. Menezes – ME (R$ 271.300,00) para realizarem festas e eventos de acordo com o calendário do município. A conta saiu por R$ 1.629.350,00.

    A Vida é uma festa II – Mas quem comemora 2017 com tudo a que tem direito é a empresa I.A.Ribeiro – Organização e Publicidade – ME que fez a festa em Alto Alegre do Pindaré com um contrato de R$ 5.762.419,35 para planejar, operacionalizar, organizar, executar e acompanhar vinte (estimados) eventos no município.

    Jingle Bells – Natal gordo também será a da empresa Transpama Terrapl. Pavimen. Const. Civil Mec. Agricola – LTDA que arrematou três contratos em Humberto de Campos, no total de R$ 2.534.971,00. Um de R$ 1.377.264,17 para recuperar e reformar pontes de madeira; outro de R$ 724.654,32 para reformar o hospital municipal e postos de saúde; e por último R$ 433.052,51 para reformar quadras poliesportivas dos colégios Adalberto e Santa Rita.

    Farinha d’água – A ceia em Santa Rita será por conta da empresa TOP Construção e Pavimentação LTDA – EPP, que tem até maio de 2018 para concluir a ponte sobre o Rio Itapecuru que liga os povoados Quilombolas de Areia e Porto Alegre.  O contrato de R$ 4.681.376,00 foi assinado em maio passado e tem prazo de 365 dias.

    Líquido precioso – Já em Monção ninguém ficará com sede no final do ano com os quatros contratos assinados pela prefeitura em abril passado com a Josiane Silva Santos – ME para fornecer R$ 778.000,00 em água mineral até 31 de dezembro para as secretarias de Planejamento, Educação, Saúde e Assistência Social.

    Deu no D.O.

    Cereja do bolo I – Se tudo ocorreu conforme o combinado, o município de Santa Rita entrou 2017 com as escolas públicas ampliadas e reformadas. No dia 15 de junho o prefeito Antônio Cândido Santos Ribeiro assinou contrato no valor de R$ 920.112,56 com a empresa Brito e Dias Ltda para fazer o serviço (o extrato publicado no Diário Oficial não especifica as escolas) em 180 dias.

    Cereja do bolo II – Ainda no mesmo embalo, Antônio Cândido contratou em 29 de novembro a empresa A. R. C. Tavares-ME para promover por R$ 271.600,00 o aniversário de 55 anos de Santa Rita, que ocorreu três dias depois, em 2 de dezembro.

    S.O.S – O Fundo Municipal de Saúde de Imperatriz assinou com dispensa de licitação, ratificada em 16 de novembro, contrato no valor de R$ 706.800,00 com a T.M.B.N. para dispor de dois pediatras em regime de plantão durante 180 dias para atendimento de urgência/emergência e avaliação clínica no Hospital Infantil de Imperatriz – HII.

    Na veia – O Prefeito de São Francisco do Maranhão, Elson Aires Barbosa, comprou dia 15 de dezembro, com prazo de 12 meses, R$ 1.317.270,51 em medicamentos, materiais odontológicos, hospitalar e outros para a manutenção da Secretaria Municipal de Saúde, da Distribuidora de Medicamentos Saúde É Vida.

    Bula – Também em ritmo de despedida, a Prefeitura de Codó, através do Fundo Municipal de Saúde, assinou contrato dia 9 de dezembro com Gildomar Soares da Silva – ME, para fornecer material permanente à Secretaria Municipal de Saúde até o último dia 30 ao preço de R$ 344.196,00.

    Feliz ano novo – A prefeita de Governador Eugênio Barros, Maria da Luz Bandeira Bezerra Figueiredo, tem o olhão voltado para o futuro. Dia 20 de dezembro ela assinou dois contratos, no valor total de R$ 611.660,76, com a MS Construções Ltda – ME para reforma e melhorias (R$ 420.622,36) das escolas da sede e povoados; e construção de uma praça (R$ 191.038,00) no povoado Santa Rosa, entre 2 de janeiro e 31 de dezembro de 2017.

    Pelos fundos I – Somente no dia 22 de dezembro no apagar das luzes onde pouco importa o que ficou para trás, que a prefeitura de Governador Newton Bello publicou no Diário Oficial cinco contratos firmados entre os meses de maio e junho, contabilizados em R$ 3.001.572,27.

    Pelos fundos II – No dia 24 de maio foram assinados dois contratos com a A. J. Aguiar Comércio–ME, no total de R$ 1.086.596,10. Um de R$ 875.775,00 para aquisição de fardamentos; e outro de R$ 210.821,10 para material esportivo.

    Pelos fundos III – Já nos dias 23, 27 e 30 de junho foram celebrados três contratos pela bela prefeitura com a M L Barbosa – ME, na soma de R$ 1.914.976,17 e dividido em R$ 287.964,12 para gêneros alimentícios; R$ 1.343.512,05 para materiais de limpeza, expediente e didáticos, e – que coisa fofa – R$ 283.500,00 para enxoval de bebês.

    Receita – Não se sabe se é alguma epidemia ou se é um grande número de casos de transtornos de personalidade ou mesmo de caráter. Mas a prefeitura de Balsas assinou contrato dia 12 de dezembro com a Sana-Comercial de Medicamentos Ltda, para receber medicamentos e correlatos de acordo com as necessidades da secretaria municipal de saúde até o dia 31 de dezembro, 19 dias, ao preço de R$ 560.218,72.

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo