Logo
  • Lobão e outros 22 senadores investigados na Lava Jato ficam sem foro privilegiado se não se elegerem em 2018


    O senador maranhense Edison Lobão (MDB) é um dos vinte e três senadores alvos da Operação Lava Jato – ou de desdobramentos da investigação – que ficarão sem o chamado foro privilegiado se não se elegerem em 2018.

    O número de parlamentares nessas condições é quase metade dos 54 senadores cujos mandatos terminam neste ano.

    O foro por prerrogativa de função, o chamado “foro privilegiado”, é o direito que têm, entre outras autoridades, presidente, ministros, senadores e deputados federais de serem julgados somente pelo Supremo.

    Sem isso, os senadores passariam a responder judicialmente a instâncias inferiores. Como alguns são alvos da Lava Jato, poderiam ser julgados pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela operação em Curitiba.

    Lobão é o atual presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, um dos colegiados mais importante da Casa. A defesa do senador nega que ele tenha cometido qualquer irregularidade.

    Então tá. Por via das dúvidas, ele tentará a reeleição para fugir do juiz Sérgio Moro.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo