Logo
  •  “Irei reconstruir a minha família”, diz Cabo Campos em lágrimas

    O Imparcial – O deputado estadual Roberto Campos Filho, conhecido como Cabo Campos, veio à público na manhã desta quarta-feira, 7, após o surgimento de denúncias de agressão do parlamentar contra a esposa, Maria José Campos. “Queria pedir perdão pelos meus erros, sou humano. Pedir perdão para todos”, disse o deputado em lágrimas.

    Cabo Campos afirmou, emocionado, que a situação da família não estava boa. “A situação dentro do meu lar não estava boa. Mas irei reconstruir a minha família“, disse.

    O parlamentar fez, ainda, um apelo aos colegas: “Eu já fui julgado pela mídia e vou ser julgado nos tribunais. Por favor, também não me julguem“.

    Afastamento

    A Procuradora da Mulher na Alema, deputada Valéria Macedo, afirmou que irá pedir pelo afastamento do deputado Cabo Campos. “Há um caso de investigação formalizado, com todos os fatos contra o deputado acusado pela sua própria esposa de agressão. Eu venho dizer isso lamentando profundamente essa horrível notícia de ser uma acusação feita a um colega desta casa que tanto tem o nosso apreço”, disse a parlamentar.

    A deputada disse, ainda, que o pedido não tem motivações pessoais. “Todas as ações que tenho tomado como procuradora da mulher, como mulher, que represento as mulheres nessa casa, não têm nada pessoal contra o deputado Cabo Campos“, disse Valéria.

    Segundo a deputada, no prazo de 60 dias a representação irá a presidência, e em seguida, à Comissão de Ética.

    Agressões

    A família do deputado Cabo Campos tem vivido momentos de tensão desde o início de fevereiro.

     Maria José Campos, com quem o parlamentar é casado há 26 anos, denunciou o marido por violência doméstica no dia 4 do mês passado. De acordo com o B.O. registrado, Maria José teria sido atingida com golpes na cabeça e na boca, na presença dos dois filhos do casal, além de ouvir xingamentos.

    Foram determinadas medidas protetivas para garantir a integridade da vítima, entre elas, o afastamento da residência da vítima, proibição de aproximação – com limite mínimo fixado em 200 metros -, proibição de contato por qualquer meio de comunicação e de frequentar a casa ou local de trabalho da esposa. A decisão foi publicada cinco dias após as agressões terem ocorrido.

    Acusações contra Maria José

    Veio à tona na noite desta terça-feira, 6, um Boletim de Ocorrência (B.O.), de número 688/2018, registrado no dia 8 de fevereiro pela do filha deputado Cabo Campos contra a mãe, Maria José. De acordo com o documento, Laila Campos teria sido agredida fisicamente com uma cruzeta e tapas, por conta de sua orientação sexual.

    As agressões, segundo a ocorrência, tiveram início no dia 6 do mês passado, por volta das 23h.“Ambas discutiram, pois a autora não aceita a orientação sexual da vítima; que, em meio à discussão, a autora a agrediu com uma cruzeta, com tapas pelo corpo, com empurrões e puxões de cabelo, enquanto a ofendia verbalmente”, diz o documento.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo