Logo
  • Deu no D.O.

    Em clima de carnaval, descubra quem é ruim da cabeça ou doente do pé, lendo a coluna Deu no D.O. com os contratos dos nossos serelepes gestores públicos. Entre a alegria de alguns e as cinzas de muitos, estão as prefeituras de Imperatriz, Pinheiro, Colinas, Paraibano e Riachão.   

    Alto relevo I – Em Colinas o que não vai faltar em 2019 é uma boa impressão, provavelmente colorida brilhante. Inclusive, aliás, para imprimir os quatro contratos assinados com a Copidez Gráfica Express Ltda, pois o que não vai faltar é tinta.

    Alto relevo II – Foram R$ 241.324,28 para que Copidez garanta a recarga de cartuchos e toners até o próximo novembro das secretarias municipais de Administração (R$ 88.172,80); Educação (R$ 77.712,40); Saúde (R4 60.894,80) e Assistência Social (R4 14.544,28).

    Beleza pura – Quem botou a mesa na chapada foi a Ircon Construções Ltda com a cachoeira de R$ 889.999,96 jorrada pelos dois contratos arrematados em Riachão. O primeiro de R$ 500.000,00 foi para revitalizar o parque natural e balneário Frutuoso. O segundo de R$ 389.999,96 foi para pavimentar as vias urbanas do bairro Lagoa Seca. As obras devem ser concluídas até 21 de junho.

    Com fé em Deus – Só depois do São João que a população interiorana de Pinheiro poderá trafegar sem nenhum atropelo. Provavelmente iniciadas em novembro passado, as obras de adequação de estradas vicinais, sob responsabilidade da empresa DMais Construções e Empreendimentos Ltda – EPP tem prazo de conclusão até o dia 26 de junho. O cascalho saiu por R$ 967.015,60.

    Rodo I – A prefeitura de Imperatriz resolveu passar o pano na Saúde e meteu e acertou na veia R$ 856.626,40 de três empresas para ”aquisição eventual e futura de material de consumo e permanente de limpeza para atender as necessidades da Semus.

    Rodo II – Entre 29 de novembro e 31 de dezembro do ano que já morreu, as empresas A.D. de Sousa serviços e Comércio Eireli – ME (R$ 502.063,34), Comercial Bialuc Eireli – ME (R$ 196.553,42) e Mega Venda Distribuidora Ltda – ME (R$ 158.009,64) devem ter atendido a surpreendente eventual demanda.

    Olha aí, MP I – Se alguém tem alguma dúvida onde canta o sabiá é só subir na palmeira e avistar o R$ 1.429.039,63 faturado pela J.A.C. Sá Eireli por dois contratos de reformas em Paraibano. Um de R$ 767.751,26 pela escola Gonçalves Dias e outro de R$ 661.288,37 pelo Hospital Municipal.

    Olha aí, MP II – Os contratos dessas novas “obras” foram celebrados no dia 23 de novembro, e devem ser alvos de rigorosa fiscalização da Promotoria de Justiça da Comarca de Paraibano, que ajuizou cinco ações contra a J.A.C. e servidores municipais envolvidos em contratos anteriores com a empresa, considerados irregulares pelo Ministério Público.

    Olha aí, MP III – Neste mês de fevereiro, a Justiça concedeu liminar bloqueando os bens em até R$ 2.445.343,40 do secretário municipal de finanças, Almiran Pereira, do presidente da Comissão Permanente de Licitação, Márcio Mendes, da J.A.C. e de seus sócios João Américo Sá e Gerre Fernandes de Sá.

    Olha aí, MP IV – As ações do MP questionam a legalidade das contratações para a ampliação de um parque de vaguejada, para o serviço de limpeza pública e reformas de um campo de futebol, rodoviária e um posto de saúde. Segundo o MP, além de não possuir nenhum empregado registrado em seus quadros, a suposta sede da empresa é em um galpão sem qualquer identificação em Passagem Franca. 

      

      

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo