Logo
  • Com Sarney nos EUA, clã perde em articulação e força às vésperas das eleições


    Está confirmado que Roseana Sarney não viajou aos Estados Unidos para acompanhar a mãe, Dona Marly, em tratamento médico. A ex-governadora não foi, mas o seu pai, o oligarca José Sarney, viajou com a esposa.

    Com a saída de Sarney de São Luís, o grupo oligárquico perde em articulação política e também gerencial. Responsável pela tentativa desesperada de desgaste de Flávio Dino nos últimos dias utilizando seu império midiático, é o oligarca quem comanda as malevolências contra o governador.

    Desde que voltou a São Luís, Sarney tem implementado uma agenda de fake news dentro do seu grupo midiático para tentar diminuir a popularidade de Flávio Dino e dar condições mínimas para Roseana entrar na disputa.

    Com Sarney nos EUA, o clã fica enfraquecido a cinco meses das eleições. Roseana não tem esse perfil e, muito menos, os seus irmãos. Sem ele, o grupo oligárquico fica órfão de liderança e, a depender do tempo que ele passará lá, a proximidade das eleições pode ser fatal para o futuro político da oligarquia no Maranhão.

    Se já está difícil com Sarney, sem ele é que o clã fica mesmo enfraquecido.

    1 comentários para “Com Sarney nos EUA, clã perde em articulação e força às vésperas das eleições

    1. josé geraldo disse:

      a oligarquia sarna está no mato sem cachorro- cegos em tiroteio em festa junina , não sabe o que fazer—perderam o PODER E O COFRE ——-desesperados , enlouquecidos SEM O COFRE DO MARANHÃO —mas o melhor aconteceu …..O MARANHENSE ACORDOU DO PESADELO DO IMPÉRIO SARNA —que durou 50 anos de rapinagem—BILIONÁRIOS e deixou o Maranhão com os piores indicadores sociais do Brasil —e deram ADEUS A OLIGARQUIA SARNA —– adeus , para sempre adeus.–O MUNDO EVOLUI —os impérios desabam , viram pó-

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo