Logo
  • Cafeteira desmonta factoide de Adriano e Wellington sobre salários de médicos

    O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Rogério Cafeteira (DEM), ocupou a tribuna, na tarde desta segunda-feira (5), para defender o governador Flávio Dino de críticas dos deputados Wellington do Curso (PSDB) e Adriano Sarney (PV), no que diz respeito à Portaria 1.044, de 30 de outubro, que estabelece redução de despesas na área de saúde e regula plantão de médicos.

    Wellington e Adriano trataram o assunto como redução salarial, enquanto o líder governista corrigiu, enfatizando que a referida Portaria está em consonância com a PEC 95, do Governo Federal, que dispõe sobre o controle de despesas com a saúde em todo o Brasil.

    Rogério foi mais além: “não é plausível que um médico que presta um plantão em Pinheiro ganhe diferente do outro que ganha em Chapadinha. É apenas e tão somente isso. Agora, me causa estranheza alguns deputados mais afoitos chegarem aqui e questionarem, como se houvesse diminuição de salários. Todos sabem que a Emenda 95 restringiu gastos com saúde em todo o Brasil e os grupos que votaram a favor da referida PEC são os mesmos que chegam aqui chamando de golpistas quem venceu, democraticamente as eleições, fazendo defesa de presidente eleito, que agora mesmo denunciou que o ex-ministro do Meio Ambiente, o deputado federal Sarney Filho, tinha vendido a Amazônia para organizações internacionais”, disse.

    Rogério Cafeteira assinalou que todos os que foram derrotados deveriam fazer “mea culpa”. “Eu perdi e fiz a minha ‘mea culpa’. Todos os que perderam deveriam fazer o mesmo. Muitos não aprendem e têm mania de querer botar suas derrotas, seus insucessos na conta dos outros. Isso é um erro, porque devemos encarar as nossas derrotas de frente”, afirmou.

    De acordo com Rogério Cafeteira, é importante que a oposição cumpra seu papel, mas de forma responsável. Ele disse que o governo Flávio Dino é um governo forte, que venceu as eleições em primeiro turno, de forma transparente e democrática, e que faz uma administração à altura das expectativas do povo maranhense, o que lhe garantiu o passaporte para o segundo mandato por ampla margem de votos.

    1 comentários para “Cafeteira desmonta factoide de Adriano e Wellington sobre salários de médicos

    1. Daniel Tavares disse:

      Vejo que o problema da discussão foi a má interpretação da Emenda Constitucional 95, que estabelece que os gastos ficam limitados aos valores calculados para as aplicações mínimas do exercício imediatamente anterior (2017) feito as devidas correções monetárias.
      Já a Portaria SES/MA Nº 1.044, de 30/10/18, fala em redução e o estabelecimento do teto, ou seja, apesar de citar a EC95, utilizou-se de parâmetros diferentes desta realizando REDUÇÕES (art. 2º) e o estabelecimento de limites (art. 1º).
      Vejo que existe até um questionamento quanto a constitucionalidade da Portaria, uma vez que adota um mecanismo e critérios que diferem da EC95, ou seja, a Portaria traz no seu bojo, REDUÇÕES E TETOS, já a EC 95 trata das as Aplicações mínimas em ações e serviços públicos de saúde (REPETIR O GASTOS DO ANO ANTERIOR, COM AS CORREÇÕES).

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo