Logo
  • FIQUE DE OLHO

    Agostinho Ramalho conversa sobre lugar de fala e de escuta hoje em live

    Agostinho Ramalho: O direito da fala

    “Lugar de fala” é um termo que anda nas cabeças, anda nas bocas, mas, afinal, o que significa um lugar de fala?

    No dicionário lugar é um espaço determinado, um local, mas é também a posição, o posto apropriado ou devido a alguém; eu voltei, agora pra ficar, porque aqui, aqui é o meu lugar.

    E, ainda, o papel ou importância de algo ou alguém em relação a outras coisas ou pessoas.

    O termo “lugar de fala” é de uso frequente entre militantes de movimentos feministas, LGBTQI+, negros, entre outros, e tomou as redes sociais.

    Após sua difusão surgiram algumas críticas ao seu uso, uma vez que o termo começou a ser tomado como algo restrito e exclusivo a pessoas pertencentes a cada um desses grupos.

    Assim, um homem branco heterossexual estaria impedido de falar sobre feminismo, homossexuais e também sobre movimentos antirraciais.

    Em entrevista à revista Nexo, a ativista de relações de gênero e pós-doutora em ciência da comunicação Rosane Borges, avalia que “lugar de fala” é um conceito que precisa ser usado com cuidado.

    Para ela, “lugar de fala” é “a posição de onde olho para o mundo para então intervir nele.”

    Rosane Borges chama a atenção para a crescente banalização do conceito de lugar de fala nas redes sociais. “A maneira como o conceito é empregado hoje é muitas vezes superficial e incompleta”, o que pode levar a equívocos em sua utilização.

    O “lugar de fala” seria também o lugar tomado por um sujeito a partir de uma ética?

    Já o “lugar de escuta” seria puro exercício de alteridade?
    ___________________________________
    Com o tema LUGAR(ES) de FALA
    & LUGAR(ES) de ESCUTA, essas e outras questões serão trazidas à discussão pelo convidado de Helena de Castro Affonso, Agostinho Ramalho, no Conversa de Analista nesta segunda-feira, 3 de agosto, às 16 horas
    No Conversa de Analista há lugar(es) de fala e de escuta! Fique atento para não perder a live!

    • *Texto distribuído pela assessoria
      .

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo