Logo
  • CREDENCIAL

    A ex-candidata ao governo no MA se legitima aos bolsonaros pelas digitais do mal caminho

    Maura Jorge e Flávio Bolsonaro: legitimidade pelas digitais do mal caminho

    As afinidades entre a candidata que disputou o governo do Maranhão pelo PSL, a ex-deputada Maura Jorge e o deputado Flávio Bolsonaro a credenciam como legítima representante do presidente eleito. 

    A ex-deputada deve ser reconhecida e conquistar a confiança do clã Bolsonaro por também ter feito uso de funcionário fantasma para engordar o orçamento. 

    O caso Maura envolve a doméstica Gercina Vieira, utilizada como laranja em um golpe para desviar dinheiro público através dos altos salários da Assembleia Legislativa.

    Conterrânea de Lago da Pedra, reduto controlado com mão de ferro pela família Jorge, Gercina descobriu ao ser impedida de se aposentar em 2005 por não ter contribuído de acordo com seus rendimentos, que entre 99 e 2003 ocupava um alto cargo no legislativo   enquanto trabalhava como doméstica na casa da deputada.

    Sem o seu conhecimento, mais de R$ 170 mil, em valores da época, teriam   passado por seu contracheque!

    Com o mesmo desprendimento com que trata os Bolsonaro, a Justiça até hoje não solucionou o imbróglio envolvendo a doméstica e a ex-deputada.

    Em entrevista à imprensa em setembro deste ano, dona Gercina já com 72 anos, viúva e criando dois filhos, disse que estava com o nome sujo na praça e não saberia determinar o tamanho da dívida que ainda impede de se aposentar.

    Uma de suas filhas, no entanto, revelou acreditar que pelos órgãos federais por onde o nome da sua mãe andou e pelos anos que nada foi resolvido, o valor deve ser muito alto.

    Dormindo em berço esplêndido, Maura Jorge não vê qualquer sombra de condenação.

    Ainda mais agora que se sente mais confortável por compartilhar do mesmo caminho com um dos filhos do futuro presidente.

    É a identidade do sujo com o mal lavado abrindo as portas da esperança para quem quer dinheiro!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo