Logo
  • Notícias

    Othelino intensifica campanha em Paulino Neves, Magalhães de Almeida e Mirinzal


    O candidato à reeleição, deputado Othelino Neto (PCdoB), cumpriu compromissos em Paulino Neves, Magalhães de Almeida e Mirinzal, na quinta-feira (27). Acompanhado governador Flávio Dino, o presidente da Assembleia Legislativa conversou com eleitores dos três municípios que foram beneficiados com emendas parlamentares destinadas à infraestrutura e saúde.

    “É sempre um prazer retornar a essas cidades, onde me sinto muito feliz com o carinho dos moradores, que reconhecem as melhorias destinadas através de emendas parlamentares de minha autoria, e quero continuar trabalhando por essa população”, disse Othelino.

    Flávio Dino destacou a importância da participação de Othelino Neto nos projetos do “Governo de Todos Nós”. “O deputado é peça fundamental nesse grupo político, porque ele, como presidente da Assembleia Legislativa, pôde garantir que os projetos fossem aprovados e as melhorias chegassem a vários municípios, e é por isso que ele deve continuar no Legislativo maranhense para somar com a gente na luta pelo povo do nosso estado”, afirmou o governador.

    À noite, o deputado Othelino Neto participou de uma reunião em Mirinzal, sob a liderança do prefeito Jadilson Coêlho. Na oportunidade, ele reafirmou a pareceria e o compromisso com o povo. O parlamentar também lembrou das melhorias que já destinou para o município.

    “Para Mirinzal, nós destinamos emendas à saúde, solicitamos a inclusão no Programa Mais Asfalto e a doação de motoniveladoras. E ainda vamos continuar fazendo muito mais em prol da cidade”, enfatizou Othelino Neto.

    Informações da Aeronáutica desmontam fake news da IstoÉ para atingir Weverton

    As Informações de Ocorrência Aeronáutica do SIPAER registram que o avião decolou da cidade de Mossoró (RN) com destino a Crateús (CE).

    Relatório do Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAER) desmonta fake news criada por IstoÉ para atingir o candidato do PDT no Maranhão ao Senado, Weverton Rocha. Em reportagem intitulada de ‘O Projeto Haddad: como Lula montou um QG de campanha na cadeia”, a revista traz uma série de informações equivocadas sobre a suposta cooptação do apoio do deputado federal maranhense comandada pelo ex-presidente.

    A controversa matéria da IstoÉ divulgada esta semana aborda os comandos de Lula para garantir apoios estaduais ao projeto de Fernando Haddad (PT) à Presidência nos estados de Alagoas, Ceará e Maranhão.

    Um dos que teria sido beneficiado financeiramente com as negociações foi Weverton Rocha, que teria recebido R$ 6 milhões a mando de Lula e articulado pelo ex-deputado Valdemar da Costa Neto.. Em trecho cheio de inconsistências, a IstoÉ fala que um avião com esse dinheiro saiu do Ceará com destino a São Luís, mas acabou caindo na cidade de Boa Viagem (CE).

    As Informações de Ocorrência Aeronáutica do SIPAER, no entanto, registram que o avião decolou da cidade de Mossoró (RN) com destino a Crateús (CE). Apesar disso, de acordo com a IstoÉ, um policial que escoltava o dinheiro foi o responsável por fazer com que o dinheiro chegasse até as mãos de Weverton.

    A publicação não explica como o dinheiro saiu da aeronave acidentada, e não cita os nomes do piloto e do suposto policial, e não especifica como e onde foi feita a entrega dos recursos para a campanha do candidato pedetista, em troca do apoio à candidatura de Haddad.

    Líder nas pesquisas no Maranhão, o deputado federal tem sido alvo de constantes ataques da oposição sarneyzista, que tenta a todo custo eleger pelo menos um representante da família para o Senado Federal.

    As inconsistências jornalísticas, somadas ao desespero da oligarquia e as informações oficiais do voo que são totalmente contrárias as da revista evidenciam uma suposta manipulação para atacar Weverton. Não é a primeira vez que o clã Sarney utiliza a IstoÉ para esse tipo de prática em período de eleição.

    Candidato a cumprir mandato até os 91 anos de idade, Lobão quer transformar o Senado em casa de repouso

    Lobão e a aposentadoria compulsória: O que esperar de um candidato ao Senado, que ao                     término do mandato, caso eleito, terá 91 anos de idade?

    Por considerar que as limitações físicas naturais do envelhecimento impedem o exercício eficiente de suas atribuições, a Constituição obriga o servidor público a se aposentar aos 75 anos, então o que esperar de um candidato ao Senado com 83 anos de idade?

    Nada, a não ser a manutenção dos privilégios e repetidas licenças médicas para que o seu filho suplente conquiste um mandato sem voto!

    Vota-se no pai, para eleger o filho!

    Edinho: quer ser mais uma vez um senador sem voto

    O que dá no mesmo, já que ambos são farinha do mesmo saco e representam os interesses das elites contra os direitos trabalhistas, o investimento em políticas públicas, o trabalho escravo e a aposentadoria digna, caso a reforma da previdência entre em pauta na próxima legislatura, dentre outras medidas que afetam o futuro da maioria dos brasileiros.

    Eleito pela primeira vez ao Senado em 1986, ainda com 50 anos, Edison Lobão acumula quatro mandatos; dois dos quais (2003/2019) divididos com o rebento Edinho, a quem a suplência estava reservada.   

    Nas eleições de 2002, a primeira após completar a idade mínima (35 anos), o Lobinho iniciou sua carreira política oculta e por mais de seis anos fez pose de senador, enquanto o Lobão foi ministro de Minas e Energia nos governos Lula e Dilma Rousseff.

    Octagenário, caso reeleito, ele dificilmente terá condições de cumprir a rotina legislativa e o mandato presencial será exercido por sua cria.

    A rotina do genitor será marcada por licenças regiamente calculadas de acordo com a necessidade de manter o foro privilegiado das investigações que responde na Operação Lava Jato.

    Embora um senador também seja servidor público, caberá ao eleitor decretar nas urnas a sua aposentadoria compulsória!

    Márcio Jerry amplia apoios em São Luís na reta final da campanha

    Faltando apenas dez dias para as eleições, o candidato a deputado federal e ex-secretário estadual de Comunicação e Assuntos Políticos, Márcio Jerry, tem reforçado a agenda de mobilizações na capital maranhense.

    Na noite de quarta-feira (26), ele participou de uma caminhada na Vila Isabel Cafeteira, acompanhado do líder comunitário Ramires e em parceria com o candidato a deputado estadual Yglesio Moyses(PDT).

    Ramires lembrou à comunidade o trabalho conjunto com Márcio Jerry desde a Prefeitura de São Luís. “Apoiamos o Márcio porque ele não é aquele político que só aparece de quatro em quatro anos. Se hoje a nossa comunidade tem Mais Asfalto e iluminação pública, é muito pela ajuda do Márcio Jerry, desde a época que ele trabalhou na Prefeitura até quando foi secretário do governador Flávio Dino. Mesmo sem ser deputado federal, ele já fez muito pela nossa comunidade”, reforçou Ramires.

    Esta semana, Márcio Jerry reuniu ainda técnicos da área da saúde, representantes de religiões de matriz africana e empresários do setor de gastronomia em São Luís, em atividade realizada no comitê central da campanha, localizado no Renascença.

    Para Márcio Jerry, a mobilização popular é um dos principais fatores do sucesso da sua candidatura. “A nossa campanha não é a das grandes estruturas, mas sim a do debate, das ideias e do apoio ao projeto do governador Flávio Dino para continuar mantendo o Maranhão no rumo certo” Esta nossa campanha, acrescentou, “cresce e está dando certo porque foi entregue à população, que acredita e está se mobilizando”.

    Caminhada

    Nas últimas semanas, Márcio Jerry tem percorrido diversos bairros de São Luís, em caminhada e em atos políticos com o apoio de lideranças partidárias e das comunidades. Vila Isabel Cafeteira, Turu, Anil, Pirapora, João de Deus, Bairro de Fátima, Redenção e Anjo da Guarda estão entre as localidades em que Márcio Jerry realizou atividades e reforçou apoios nas últimas semanas.

    Em plenárias e reuniões, Márcio Jerry garantiu também o apoio de representantes de segmentos específicos, a exemplo de guardas municipais, agentes de saúde e integrantes do segmento evangélico. Os vereadores Marcelo Poeta, Fátima Araújo, Gutemberg Araújo, Concita Pinto e o presidente da Câmara Municipal, Astro de Ogum, estão entre os apoiadores da candidatura de Márcio Jerry em São Luís.

    Roseana tenta proibir Rubens Pereira Jr de dizer que ela é do mesmo partido de Michel Temer

    Em mais uma atitude de desespero e decadência, Roseana Sarney (MDB) tenta censurar quem ousa vincular a imagem dela ao de Michel Temer, do mesmo partido político. Em recente representação junto ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral), a candidata a governadora pede suspensão do programa eleitoral do deputado federal Rubens Pereira Jr (PCdoB), candidato a reeleição.

    Na propaganda, Rubens Pereira Jr mostra trechos de suas votações a favor das investigações contra Temer, durante sessão no plenário da Câmara dos Deputados. O presidente foi denunciado duas vezes pela Procuradoria-Geral da República (PGR). A primeira, por corrupção passiva. A segunda vez, pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça, com o intuito de arrecadar propinas.

    Em seu programa eleitoral, Rubens Pereira Jr reafirma sua posição e opinião. Por ele, Temer “estava fora há muito tempo”. Para finalizar, diz que os prejuízos causados pelo presidente e pelo MDB, partido de Roseana Sarney, “são inaceitáveis”. Por fim, convida os eleitores a “mudar o Brasil e seguir mudando o Maranhão”.

    Além de corresponder fielmente à verdade dos fatos, Roseana e os advogados de sua coligação parecem esquecer que as palavras de Rubens Jr são amparadas pela imunidade parlamentar absoluta. De acordo com o Artigo 53 da Constituição Federal, é livre toda opinião, palavra e voto.

    Daniella Tema é recebida com festa em Luis Domingues e Amapá do Maranhão


    Com uma vistosa campanha, em que vem angariando apoios em todas as regiões do Estado, a candidata Daniella Tema (DEM), que concorre a uma vaga na Assembleia Legislativa, esteve esta semana nas cidades de Amapá do Maranhão e Luis Domingues. Nos dois municípios, ela e o esposo Cleomar Tema, prefeito de Tuntum e presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), foram recebidos de forma efusiva.

    Em Amapá do Maranhão, primeiro ponto de chegada da candidata, a convite de Paraíba, um dos principais líderes políticos, ela foi saudada como futura parlamentar. Ele disse não ter qualquer dúvida quanto à vitória de Daniella, principalmente levando-se em conta a sua plataforma de trabalho.

    Daniella Tema reafirmou seu compromisso com a população da cidade, ressaltando que fará de tudo na Assembleia Legislativa em, defesa não apenas daquela cidade, mas de toda a região. “O Maranhão precisa de políticos compromissados com, o povo e meu nome está colocado como candidata a deputada exatamente porque tenho esse compromisso e irei cumpri-lo”, acrescentou Daniella.

    Carreata em Luís Domingues

    No município de Luis Domingues, Daniella Tema esteva acompanhada, além do esposo Cleomar Tema, do deputado federal Aluísio Mendes. Foram recepcionados com uma grande festa. Recebidos na entrada da cidade por uma grande multidão e seguidos por centenas de carros e motos até a residência da amiga identificada por Bia.

    Na cidade, a candidata conta com o apoio de inúmeras lideranças, a exemplo do vereador Cupu, de Ismael, Luis Professor, Professor Mundico, Nevo, Najla, Professor Genilson, Professora Elsileia, Herberth, Zeca Paiva e Antonio Leite, dentre outros.

    Sarney Filho/Réu: Blog comprova processo e desmonta defesa fake de candidato oligarca

    Diante da acusação de que é falsa a notícia publicada pelo blog sobre a condição de réu do candidato ao Senado, Sarney Filho (PV), em processo que tramita no Tribunal Regional Federal da 1ª Região, reproduzimos o print do site do TRF-1 para revelar que fake news foi a defesa do ex-ministro do meio ambiente do governo Temer divulgada pela mídia sarneysista e seus satélites nas redes sociais.

    Conforme a página, Sarney Filho é réu em ação popular que tramita na Justiça Federal do Distrito Federal por conta de uma licitação anunciada quando era ministro do Meio Ambiente, no valor de 78 milhões de reais, para contratação de serviço de monitoramento ambiental, já realizado por órgão federal sem custo para o governo.

    A denúncia é de maio de 2017 e embora a Advocacia-Geral da União tenha requerido em novembro a extinção do caso após a revogação do pregão, o processo continua tramitando e tem, inclusive, duas movimentações registradas neste mês de setembro de 2018.

    É importante também ressaltar que em momento algum foi dito pelo blog que o candidato é ficha-suja. Tampouco  o considerou culpado por responder uma ação na Justiça.

    Agora, como tratar quem comete o que acusa para se defender?

     

    Crônica de uma morte anunciada: Roberto Rocha trai Alckmin e afunda PSDB no MA

    Enquanto o partido afunda, Roberto Rocha…

    No início do ano, com ameaça de sofrer uma intervenção nacional no diretório estadual do PSDB/MA, o então presidente do partido, o vice-governador Carlos Brandão, foi obrigado a renunciar a Presidência e até mesmo a se desfiliar do partido. Isso, após ter feito o partido crescer bastante no Estado, elegendo o vice-governador, o primeiro suplente de senado, um deputado federal, dois deputados estaduais e, em 2016, dezenas de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

    O presidente nacional do PSDB, Geraldo Alckmin, e então pré-candidato a presidente da República, entregou o destino do partido no Maranhão para o senador Roberto Rocha. A ideia seria construir um palanque para Alckmin no Estado.

    Logo em seguida, José Reinaldo Tavares (ex-PSB) também entrou no PSDB, viabilizado diretamente pela Nacional com a garantia de que teria uma vaga na chapa majoritária para disputar o Senado. Como eles estavam rompidos desde o fim do Governo Tavares, em 2006, Rocha boicotou Tavares desde o início, tentando, sem êxito, negar legenda. Para isso, prometia fazer o deputado federal Waldir Maranhão (ex-PP) e o deputado estadual Alexandre Almeida os candidatos ao Senado. Só não conseguiu por conta de ingerências nacionais, e acabou rebaixando Waldir para a disputa pela reeleição à Câmara dos Deputados.

                        Grande comício de Roberto Rocha em Tutóia para 30 pessoas

    A gestão de Roberto Rocha e do novo time do PSDB no Maranhão tem se revelado desastrosa politicamente. E tanto em relação a política local quanto a política nacional.

    Não satisfeito, Roberto Rocha inviabilizou a candidatura de José Reinaldo Tavares ao Senado, desfazendo acordos que ele havia feito para a composição de sua chapa. Tavares havia convidado uma grande liderança do leste maranhense para ser primeiro suplente em sua chapa, tendo feito um grandioso ato em Caxias para celebrar a pré-candidatura em junho de 2018. Na véspera da convenção, porém, Rocha interviu na chapa e indicou para a primeira suplência o filho do neo-tucano Waldir Maranhão, que sequer tinha 35 anos e por isso mesmo acabou sendo vetado pelo TRE/MA e foi substituído. Qualquer neófito na Presidência do PSDB/MA não teria cometido erro tão grotesco, mas Rocha não estava muito preocupado em dar força ao rival dentro da legenda. Muitos dizem que fez de caso pensado, embora há quem acredite que foi realmente incompetência de Rocha.

    O resultado do desastre político tem se refletido na campanha. Em suas pouquíssimas andanças pelo Maranhão, Rocha não tem conseguido reunir mais que uma dezena de eleitores para ouvir suas propostas. Em Tutoia, por exemplo, cidade de quase 60 mil habitantes, Rocha só conseguiu fazer um pequeno pronunciamento onde todo o público coube na sombra do telhado de uma igreja. Entre assessores da campanha e transeuntes que ali passavam no momento do discurso de Roberto Rocha não havia mais que trinta pessoas.

          Na propaganda do PSDB/MA, patrocinada com recursos do Fundo Especial e da                                           Campanha de Alckmin, só aparecem Lula e Dilma

    A consequência da desastrosa gestão política de Rocha no PSDB/MA tem sido revelada nos números das pesquisas. Na primeira rodada do Ibope (MA-00502/2018), em 23/08/2018, Rocha apareceu com vergonhosos 3% das intenções de voto na pesquisa estimulada. Na segunda rodada do Ibope (MA-06667/2018), em 19/09/2018, Rocha oscilou para baixo, apresentando apenas 2% das intenções de voto, na quarta colocação e em empate técnico com o candidato da extrema esquerda, Ramon Zapata (PSTU). O PSDB/MA nunca passou por situação tão vexatória.

    Na disputa ao Senado, ainda segundo os números do último Ibope, o ex-governador José Reinaldo Tavares já é o quinto colocado, com apenas 12% das intenções de voto, e Alexandre Almeida ocupa a sexta posição, com irrisórios 4%, tecnicamente empatado com os candidatos dos partidos nanicos, inclusive os de extrema esquerda, como o PSTU.

     Propaganda do PSDB/MA diz que impeachment foi um golpe

    Roberto Rocha pode reclamar de tudo menos de falta de apoio da Direção Nacional. Desde o início o presidente Geraldo Alckmin hipotecou todo o apoio a Rocha, garantindo-lhe a legenda para disputar o Governo do Estado e a presidência do partido no estado e convidando o ex-presidente e atual vice-governador Carlos Brandão a deixar o partido.

    Além disso, a quinze dias antes das eleições, Rocha já recebeu em doação eleitoral R$ 2,4 milhões da cúpula nacional, sendo R$ 1,2 milhão de Fundo Especial, além de R$ 1,2 milhão como doação financeira da própria campanha presidencial de Geraldo Alckmin.

    E Rocha ainda conseguiu que a direção nacional enviasse também recursos às campanhas dos senadores, já tendo recebido R$ 1 milhão para cada. E ainda conseguiu recursos da direção nacional do partido para o notório Waldir Maranhão, o homem que tentou revogar o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, que foi aquinhoado pelo PSDB nacional com R$ 500 mil. Ou seja, o PSDB nacional e a campanha de Alckmin já investiram R$ 5,4 milhões no PSDB/MA. E Rocha tem anunciado a aliados e credores de sua campanha que ainda receberá mais recursos até o dia da eleição, já tendo inclusive contratado mais despesas que as receitas recebidas, segundo ele com o aval nacional.

           Madeira faz comício para multidão de dez pessoas

    E acredite se quiser, mesmo com todo esse recurso repassado pela cúpula nacional, Rocha tem permitido a que Waldir Maranhão utilize do horário eleitoral para fazer propaganda do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, e até para sustentar que a cassação da ex-presidente Dilma Rousseff foi um golpe: “O impeachment foi um golpe!”. E completou: “Esse golpe mostrou que a elite brasileira estava equivocada. Levei em consideração a realidade do meu país, onde as pessoas menos favorecidas foram beneficiadas por programas sociais, de um governo que vinha fazendo acontecer” (https://youtu.be/eItXv3OudMw). Pior ainda, propaganda paga pelo Fundo Especial do PSDB. Quem imaginaria que a propaganda eleitoral do PSDB um dia reconhecesse êxitos do Governo do PT e ainda defenderia Lula e Dilma?!

    O ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, que também pretende voltar à Câmara dos Deputados, também aquinhoado com meio milhão de reais do Fundo Especial do PSDB, tem feito comícios para meia dúzia de gatos pingados. E desesperado para se eleger, tem evitado colar sua imagem com a do presidenciável Geraldo Alckmin.

    Será que a Direção Nacional continuará investindo para o PSDB/MA fazer campanha contra Alckmin e a favor de Lula no Maranhão?!

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo