Blog do Garrone

Temer negociou ‘certas condições’ com oposição, diz Sarney em gravação

Folha de s. paulo

 

Com uma vasta folha corrida na política brasileira, Sarney agora também atua como consigliere dos políticos acusados de corrupção

Com uma vasta folha corrida na política brasileira, Sarney agora também atua como consigliere dos políticos acusados de corrupção

O ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP) confidenciou ao ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que a oposição no Congresso estava resistindo à ideia de apoiar uma transição com Michel Temer na Presidência da República e que um apoio só foi aceito após “certas condições”, as quais ele não detalhou.

A resistência dos opositores, segundo Sarney, foi vencida após uma intervenção do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). “Nem Michel eles queriam, eles querem, a oposição. Eles aceitam o parlamentarismo. Nem Michel eles queriam. Depois de uma conversa do Renan muito longa com eles, eles admitiram, diante de certas condições”, disse Sarney a Machado, que assinou um acordo de delação premiada com a PGR (Procuradoria-Geral da República).

Sarney respondeu: “Eles sabem que não vão se safar”.Sarney fez os comentários após Sérgio Machado dizer que “para o PSDB a água bateu aqui também. Eles sabem que são a próxima bola da vez”, em referência às investigações da Operação Lava Jato.

“E não tinham essa consciência. Eles achavam que iam botar todo mundo de bandeja”, opinou Machado. Segundo o ex-presidente da Transpetro, agora tinha que ser “construída” alguma “solução”, segundo a qual “Michel tem que ir para um governo grande, de salvação nacional, de integração”.

Sarney disse que teve uma conversa com Temer e que “tudo isso está na cabeça dele, tudo isso ele já sabe”.

O ex-presidente também respondeu a uma observação de Sérgio Machado, segundo o qual o Supremo havia “rasgado a Constituição” ao autorizar, em novembro passado, a prisão do então senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS), hoje outro delator da Lava Jato.

Sarney disse que o “pior foi o Senado se acovardar de uma maneira…” Para o ex-presidente, o Senado “não podia” ter concordado com a prisão de Delcídio decretada pelo STF.

“Não podia, a partir dali ele [Senado] acabou. Aquilo é uma página negra do Senado”, lamentou o ex-presidente. “Porque não foi flagrante delito. Você tem que obedecer a lei”, afirmou Machado. “Não tinha nem inquérito!”, concordou Sarney.

Três meses depois, o próprio ministro relator do caso no STF, Teori Zavascki,determinou a soltura de Delcídio, que passou à prisão domiciliar. Para Sarney, a decisão agravou ainda mais a moral do Senado. “Agora o Teori acabou de desmoralizar o Senado porque mostrou que tem mais coragem que o Senado, manda soltar.”

Para Machado, a situação “ficou muito mal”. “A classe política está acabada. É um salve-se quem puder. Nessa coisa de navio que todo mundo quer fugir, morre todo mundo.”

Falando sobre o desempenho de Renan Calheiros como político, José Sarney contou um episódio de 2006 que, para ele, mostraria a “ingenuidade” do atual presidente do Senado.

Acusado de ter recebido recursos de uma empreiteira para ajudar sua amante, Calheiros teria decidido entregar os documentos de Imposto de Renda para a TV Globo, o que, segundo ele, provaria sua inocência. Logo depois, porém, a emissora investigou os documentos e as reportagens agravaram um quadro que, meses depois, culminou na renúncia do Renan da presidência do Senado. Sarney contou: “E o Renan cometeu uma ingenuidade. No dia que ele chegou, quem deu isso pela primeira vez foi a [jornalista da TV Globo] Délis Ortiz. Eu cheguei lá era umas 4 horas, era um sábado, ele disse ‘já entreguei todos os documentos para a Délis Ortiz, provando que eu… que foi dinheiro meu’. Eu disse: ‘Renan, para jornalista você não dá documento nunca. Você fazer um negócio desse. O que isso vai te trazer de dor de cabeça’. Não deu outra”.

Sérgio Machado concordou: “Renan erra muito no varejo”.

OUTRO LADO

A assessoria de Renan Calheiros informou que o senador “não tem como avaliar comentários que terceiros façam sobre a sua conduta como político”. Sobre a decisão do Senado que apoiou a prisão de Delcídio, em novembro, a assessoria de Renan disse que sua posição “foi pública e consta das notas taquigráficas daquela sessão”. Naquele dia, segundo registrou a imprensa na época, Renan fez uma reunião com um grupo de senadores e defendeu a soltura de Delcídio, por entender que a prisão não atendia aos requisitos legais, mas sua posição inicial foi vencida.

Um comentário sobre “Temer negociou ‘certas condições’ com oposição, diz Sarney em gravação

  1. MACABEU

    Tem razão a Presidenta afastada Dilma, quando clama pelo quatros quanto deste País varonil que foi um Golpe!,. Uma tramoia, uma traição, uma conspiração, complô, tudo isso e Sarney dentro, numa guerra civil, qualquer dos adjetivos praticado, resultaria em fuzilamento.
    Sarney a escória da escória sem nenhum constrangimento fazendo parte do golpe, ou cara safado. A água de esgoto com tratamento pode-se aproveitar, mas, Sarney esse vil político, nada se pode fazer para aproveita, quando dar para o inferno não querer-lo, dar para imaginar o traste, sem comentário….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *