Logo
  • Notícias

    Deu no D.O.

    Roseana só pode ter acertado na previsão de que Santo Antonio dos Lopes iria produzir mais gás do que a Bolívia querida”, diz uma das notas da coluna Deu no D.O. sobre a prefeitura desse Sto. Antônio adquirir R$ 3 milhões em combustível em plena crise sanitária e  econômica decorrente da Covid. “É só para quem pode, e pode muito”.,  diz ainda a nota. Zé Doca, Bom Jardim, Centro do Guilherme e Formosa da Serra Negra são outras digitais em destaque na coluna.

    Lar doce Lar – Zé Doca não é esse descalabro todo, como muita gente pensa e diz por aí. É um município familiar, tradicional. Tem cadeira de macarrão e festa de quadrilha o ano todo.   

    Casamento na Roça – Não é à toa que a prefeitura adquiriu R$ 1,5 milhão em combustível e comprou 580 mil reais de camisetas, uniformes e malhas. A base do anarriê e do alavantú, os contratos foram celebrados com as empresas C.O. da Silva Melo Cia, Almeida Costa e Cia. Ltda e Rosilene F. Sousa – ME.

    Pede a música – Pelo fornecimento do combustível, a companhia Melo e a Almeida Costa foram abastecidas, respectivamente, com 800 e 700 mil reais. Enquanto isso, Rosilene F. Sousa – ME, passava 580 mil linhas d’água pelo buraco da agulha.

    É Fantástico – Zé Doca ficou notória por modernizar o lema ‘Governar é abrir estrada’ do presidente Washington Luís, o último governo da República Velha. ‘Por onde a BR passa, a cidade cresce’ é a nova marca-símbolo. De Zé Doca ela se expande por outras 40 gestões municipais. É só falar ‘BR’, que quem não bate palmas, sai correndo…

    Geopolítica – Já na vizinha Bom Jardim a festa de quadrilha deve ser bem maior. É o que se calcula pelos R$ 4 milhões em combustível adquiridos pela prefeitura no posto Magnólia. Bom Jardim e Zé Doca são municípios coirmãos unidos pela BR-316.  

    Chuchu – Enquanto isso, a R. Benedito de Araújo caia nos encantos de Formosa de Serra Negra. Dos materiais de limpeza e expediente a móveis e eletrodomésticos, adquiridos pela prefeitura formosense, tudo tem a marca da empresa. Foram doze contratos somados em 3,9 milhões de reais. Será o Benedito?

    Aprendeu com Bita – Roseana Sarney só pode ter acertado na previsão de que Santo Antônio dos Lopes iria produzir mais gás do que a Bolívia querida.

    Royalties– Comprar R$ 3,1 milhões de combustível em plena crise econômica e existencial provocados pela Covid-19, é só para quem pode, e pode muito. Superstição ou indício, 13 foi o número de contratos  que a prefeitura de Santo Antonio dos Lopes celebrou com a T.R. dos Santos Bezerra – EPP.

    Energia – Roseana anunciou o novo eldorado maranhense em 2010. Estava de mãos dadas com Eike Batista.

    Extrema-unção – O maranhense aprendeu às duras penas a não mais acreditar nessas promessas de redenção. Do gás de Santo Antônio dos Lopes à BR familiar de Zé Doca, as promessas eram de riqueza e melhoria na qualidade de vida. Em Centro do Guilherme, a promessa não é de uma boa, mas de uma boa morte.

    Agouro – Com 12.500 almas, a prefeitura do Guilherme não deixou por menos. Encomendou R$ 132.690,00 de uns belos e confortáveis caixões de conglomerado. A empresa W B Lima Comércio e Serviços – Eireli arrematou R$ 63.490,00 e a Adalton De Oliveira Ribeiro enterrou no bolso R$ 69.200,00.

     

     

        

     

     

     

      

    Terra do gás, Santo Antonio dos Lopes troca 18 votos por R$ 2,4 milhões de Aluísio Mendes e continua sem oxigênio

    Santo Antonio dos Lopes, muito gás e pouca saúde

    Mesmo tendo recebido apenas 18 votos em Santo Antonio dos Lopes em 2018, ficando na modesta 32ª colocação na lista de votação, o deputado federal Aluísio Mendes enviou 3 emendas para o município investir na saúde, no valor total de R$ 2,4 milhões. Isso mesmo! Dois milhões, quatrocentos e trinta mil, para ser mais preciso. Todas foram pagas no dia 09 de abril de 2020, em plena pandemia da covid-19.

    Recentemente, o deputado Aluísio Mendes postou nas suas redes sociais que conseguiu R$ 13 milhões do orçamento federal para a saúde no Maranhão. É no mínimo inusitado que tenha destinado um sexto desse montante para uma cidade de apenas 14 mil habitantes, que já possui uma receita elevadíssima por conta dos milionários royalties que recebe em decorrência da exploração de gás natural na região, e onde só obteve 18 votos. Inusitado, bem inusitado.

    Com esses R$ 2,4 milhões somados ao R$ 1,4 recebidos do Ministério da Saúde, 3,8 milhões foram injetados na conta da Prefeitura. Mesmo com esse gás, não se em notícia de que no município haja um único leito de UTI.

    Aliás, tem.

    Uma nota “explicando” que em virtude da rápida ação do município, desde a declaração do Estado de Calamidade Pública pelo Estado do Maranhão em 19 de março, se conseguiu preparar os profissionais de saúde, “bem como no abastecimento do hospital local Dr. Zerbine e

    O prefeito Bigu e a vice Priscila Freitas

    as Unidades de Saúde Básica (UBS), de equipamentos e insumos hospitalares para combater a pandemia do corona vírus iminente à nossa cidade”.

    A rapidez foi tamanha, que referida nota foi lançada quase dois meses depois.

    Ainda na nota, a prefeitura afirma que foi priorizado a montagem de Unidades de semi intensivo e que não teve êxito na questão das UTIs pela falta de equipamentos no mercado. Se isso realmente ocorreu, se a Prefeitura tentou comprar respiradores, tem que publicar esse documento provando que não conseguiu, que nenhuma empresa participou do processo de compra, seja de licitação, seja de dispensa de licitação. O blog publicará o processo administrativo na íntegra quando a Prefeitura encaminhar.(Leia Aqui).

    É preciso que a Prefeitura apresente as informações sobre como está gastando esses recursos. Consultando o Portal da Transparência do município, pelo site da Prefeitura (https://www.stoantoniodoslopes.ma.gov.br/), verifica-se que até há uma janela específica para “Receitas e despesas (COVID-19)”. Mas ao acessar esse item, só é permitida a consulta dos exercícios financeiros de 2017, 2018 e 2019, quando nem sequer se sabia da existência do vírus no mundo. Ou seja, nada transparente.

    A cidade de Santo Antonio dos Lopes conhece bem a gravidade da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. No último dia 13 de maio, quarta-feira, faleceu o ex-prefeito Napoleão Mendonça, o Dr. Napoleão, como era conhecido, e que estava internado no Hospital Dr. Carlos Macieira, em São Luís. Ele era do grupo de maior risco, pois tinha 73 anos e estava com câncer nos rins.

    O próprio deputado federal Aluísio Mendes conheceu de perto a doença, pois contraiu o vírus, já estando recuperado e na ativa.

    Mais uma vez é preciso que alertar a população a ficar atenta a correta aplicação desses recursos. O Ministério Público e os demais órgãos de controle também precisam atuar, fiscalizar e cobrar da Prefeitura pronta resposta de combate ao novo coronavírus e a covid-19.

    O espaço no blog está disponível para que o prefeito Bigu, como é conhecido o prefeito Emanuel Lima de Oliveira, e o deputado Aluísio Mendes apresentem o que está sendo executado com essa verba milionária recebida pelo munícipio de Santo Antonio dos Lopes para enfrentar o novo coronavírus.

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo