Logo
  • Notícias

    Flávio parabeniza Eliziane por assinar CPI e lamenta pelos que se associaram a ladrões de merenda escolar

    O ex-governador Flávio Dino e Eliziane Gama

    O ex-governador Flávio Dino (PSB) parabenizou a senadora Eliziane Gama por ter assinado a “CPI para investigar roubalheiras no Ministério da Educação”, ao mesmo tempo que lamentou “pelos que são sócios ou cúmplices de ladrões de dinheiro federal de Merenda Escolar, ônibus escolares, etc”.

    Além dos maranhenses Weverton (PDT) e Roberto Rocha (PTB), outros 48 senadores não assinaram o requerimento. A CPI é para investigar as suspeitas de instalação de um balcão de negócios no MEC com aval do presidente Bolsonaro e coordenação de propina dos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura, sob o comando do ex-ministro da Educação e também pastor Milton Ribeiro.

    O pedido de CPI com 31 assinaturas, quatro a mais do que as 27 necessárias, foi protocolado na mesa do Senado nesta terça-feira pelo senador Randolfe Rodrigues.

    Os parabéns e o lamento de Flávio têm ampla razão de ser. Evangélica, a assinatura da senadora não é um gesto de coragem ou ato de rompimento e traição à sua base eleitoral. Mas um resgate valoroso da religião que professa.

    Eliziane é uma luz que se acende para centenas ou milhares de evangélicos que finalmente lavam a alma. Inaugura uma nova liderança ao colocar a corrupção e roubo de dinheiro público na pauta de costumes capitais.

    O senador Jean Paul Prates (PT-RN), líder da Minoria no Senado, que participou de coletiva ao lado de Randolf Rodrigues, na tarde desta terça ressaltou que a CPI não é contra evangélicos e tampouco eleitoreira.

    “Essas pessoas, o que menos importa é elas serem pastores, padres ou o que for. O que importa é que são picaretas. São estelionatários que têm, dentro do governo, seus correspondentes corruptos passivos e aliciadores do orçamento público”, disse.

    Enquanto a irmã Eliziane assinou e manteve sua assinatura, o companheiro Weverton usou os evangélicos para encobrir a retirada de seu nome do requerimento. No início de abril, após ‘pressão’ do governo Bolsonaro, três senadores deram macha ré e mandaram a CPI pro sideral.

    “Cheguei a assinar o documento da CPI, mas imediatamente após assinar, ao examinar melhor a questão, entendi que a CPI caminharia numa linha tênue entre a necessária apuração de corrupção no governo e a exposição de parte da comunidade evangélica que busca recursos para seus trabalhos”, disse ao SBT News.

    É preciso separar o joio (filhos do maligno) do trigo (filhos do reino).


    Jesus lhes propôs outra parábola: O reino dos céus é semelhante a um homem que semeou boa semente no seu campo. Mas enquanto os homens dormiam, veio um inimigo dele, semeou joio no meio do trigo e retirou-se. Porém quando a erva cresceu e deu fruto, então apareceu também o joio. Chegando os servos do dono do campo, disseram-lhe: Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? pois donde vem o joio? Respondeu-lhes: Homem inimigo é quem fez isso. Os servos continuaram: Queres, então, que vamos arrancá-lo? Não, respondeu ele, para que não suceda que, tirando o joio, arranqueis juntamente com ele também o trigo. Deixai crescer ambos juntos até a ceifa; e no tempo da ceifa direi aos ceifeiros: Ajuntai primeiro o joio e atai-o em feixes para o queimar, mas recolhei o trigo no meu celeiro.» (Mateus 13:24-30)	”

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo