Blog do Garrone

Organograma do laranjal de Sarney: os interesses de Rocha, Maura e Braide na eleição de Roseana

Nas redes sociais, Ricardo Murad disse que pré-candidaturas de Roberto Rocha, Eduardo Braide e Maura Jorge estão a serviço de Sarney

O ex-Trator Ricardo Murad explicitou em seu perfil no Facebook a coalização “Todos por Sarney” que está em andamento para as eleições 2018. Juntou, em uma mesma arte os votos em Roseana, Maura Jorge, Roberto Rocha e Eduardo Braide, como votos de Sarney. E colocou no outro campo apenas o atual governador Flávio Dino – e sua aliada Eliziane Gama.

O organograma que não estava desenhado na arte é: por quais interesses tantos candidatos, alguns ex-sarneysistas que chegaram a se aliar ao campo de Flávio Dino por algum período, se juntariam à coalizão “Todos por Sarney”?

Abaixo, elencamos uma a uma, algumas informações que circulam no mundo político ludovicense sobre as movimentações da turma:

Roberto Rocha: ele se elegeu em 2014 como o “senador da mudança”. Menos da metade do mandato e já está de volta ao ninho sarneysista onde cresceu. Até como opção de apoio a Sarney Filho – que não vê com bom olhos a chapa com a irmã. Mas o que levou Rocha de volta aos braços de Sarney? Sem o espaço que desejava no governo atual, intrigou-se tanto com Flávio Dino, a ponto de dinamitar as pontes da aliança. Para renovar seu mandato em 2022, sabe que não contará com o apoio do atual governador, se reeleito. Para tal, sonha com a “volta da guerreira”, para manter-se em Brasília, agora abertamente mesmo como o “senador do atraso”.

Maura Jorge: derrotada em seu berço eleitoral, Lago da Pedra, ela sonha mesmo é com a vice de Roseana. Mas o que lhe interessa mesmo é o apoio de uma “volta da guerreira” para restabelecer seus domínios em Lago da Pedra. Por isso, encarou a missão de ser laranja da principal.

Eduardo Braide: antes reticente em aceitar a missão de laranja nas eleições de 18, o candidato derrotado à Prefeitura de São Luís agora está decidido a encarar a missão. O que o alarmava era o medo de perder o emprego. Com um reeleição a estadual garantida, Braide colocaria isso em jogo sob o risco de passar quatro anos na chuva. Foi convencido pelos Sarney, que lhe ofereceram a eleição de sua esposa a federal, em troca da candidatura dele em 18. Em troca, obviamente, sonha com o apoio dos Sarney para a disputa da sucessão de Edivaldo Holanda.
Importante lembrar que o objetivo principal da coalizão “Todos por Sarney” é conseguir levar Roseana a um hipotético segundo turno no Maranhão. Pelas pesquisas que mais acertaram de 2006 para cá, parece difícil…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *