Logo
  • Mesmo com revisão, Maranhão terá alíquota de ICMS menor que outros estados

    Deputados votarão projeto de lei que reduz defasagem de alíquotas do ICMS no Maranhão

    A necessária revisão das alíquotas de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias de Serviços) pelo governo do Maranhão para enfrentar a crise econômica e financeira nacional apenas reduz a defasagem em relação aos percentuais praticados por outros estados.

    O realinhamento prevê reajuste de apenas 1% na alíquota de combustíveis, por exemplo. Contudo, a nova alíquota incidirá somente sobre a gasolina e o álcool. A medida não alcançará óleo diesel e óleo combustível, que são usados no transporte público e no processo produtivo.

    Mesmo com a alteração, as tributações do álcool e da gasolina no estado serão inferiores à praticada em estados como Minas Gerais e Paraíba, que tributam com 31% e o Rio de Janeiro que cobra 32%. Os percentuais praticados no Maranhão se igualarão aos estados vizinhos do Ceará e Pará, passando de 25% para 26%.

    A tributação sobre a energia também será menor que em outros estados, como Paraná (29%), Minas Gerais (30%), Mato Grosso (30%) e Rio de Janeiro (32%). A alíquota aumentando para consumidores de maior renda, com uso acima de 500 kw, que antes era com a nova regra passa de 25% para 27%.

    Porém, o projeto de lei mantém a isenção para consumidores de menor renda que utilizam até 50 kw e produtores rurais que consumirem até 300 kw.

    O projeto de lei que adequa as alíquotas do ICMS de combustíveis, energia, fumo e comunicação é uma das alternativas encontradas pelo governo para manter o equilíbrio fiscal do Estado diante da profunda crise econômica do país e reduzir a defasagem em relação às alíquotas do ICMS praticadas pelos demais Estados.

    2 comentários para “Mesmo com revisão, Maranhão terá alíquota de ICMS menor que outros estados

    1. Carlo Eduardo da Maia disse:

      Esse teu papel de babão de governador (certamente motivado por razões pecuniárias e não ideológicas) é triste!

    2. sergio disse:

      Esta omitindo informações e o aumento de doze para dezoito por cento na energia justamente nabparcela de quem mais usa energia ou seja a faixa de 500 wat

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo