Blog do Garrone

Deu no D.O.

Jorrando petróleo I – Em São João dos Patos os veículos oficiais vão andar com o tanque cheio até a tampa. A prefeitura abasteceu o Posto Tropical LTDA – EPP com um contrato de RS 2.382.520,45 para garantir combustível até o final de 2017.

Jorrando petróleo II – Já em Anajatuba, pelo valor do contrato, a frota não tem carro popular. A prefeitura adquiriu R$ 2.862.000,00 em combustível do Posto Milenium – Coimbra e Santiago LTDA para consumir até o último dia do ano.

Jorrando petróleo III – Um pouco mais econômico, Pedro do Rosário não fica pra trás e também não corre o risco de ficar no prego. A prefeitura quatro contratos somados em R$ 2.158.830,00 com a J. A. S. Mendes Filho para abastecer os veículos das secretarias de Educação (R$ 787.740,00), Saúde (R$ 273,665,00), Ação Social (R$ 47.000,00) e o departamento de transporte (R$ 1.056.425,00).

Pit stop I – Mas pelo visto, Pedro do Rosário não custa a assinar outro contrato de combustível diante dos cinco contratos de locação de veículos assinados com a mesma empresa, a Terraplam Const. Com. Distrib. Repres. E Serviços Ltda. no valor total de R$ 1.696.520,00.

Pit stop II – A frota será distribuída entre as secretarias de Obras (R$818.220,00); Agricultura (R$48.840,00); Assistência Social (R$ 48.840,00); Educação (R$ 461.060,00) e Saúde (R$ 319.560,00).

Pit stop III – Depois de alugar os veículos, a prefeitura de Pedro do Rosário assinou contrato com a empresa A.B. de Carvalho para fornecer R$ 467.110,00 em pneus e “assessórios pneumáticos”.

Tá explicado I – Não é à toa que depois de locar R$ 16.893.004,00 em veículos e máquinas pesadas, que o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, segundo denúncia do vereador Beto de Ribão, tenha contratado por R$ 33 milhões com uma empresa para executar serviços de saúde, cujo no endereço registrado na Receita Federal, funciona uma oficina elétrica.

Tá explicado II – As locações foram divididas em quatro contratos e três empresas. A Ingeo Ambiental Ltda-ME, arrematou dois no valor total de R$ 6.117.124,00 para fornecer máquinas pesadas à Secretaria de Administração (R$ 2. 363.124,00) e para fazer a limpeza pública (R$ 3.754.000,00), incluindo veículos automotores.

Tá explicado III – O terceiro contrato foi com a R.F. Magalhães Nogueira Eirele-ME, que faturou R$ 6.212.880,00 para garantir o meio de transporte nas secretarias de Administração, Saúde, Educação e Assistência social. E se a saúde é tratada por quem entende de fusível, o quarto contrato de R$ 4.563.000,00 para fazer o transporte escolar foi com uma construtora, a Bandeira Construtora e Construção LTDA.

Receio – Espera-se que Estreito seja só o nome do município, e não as duas creches que serão construídas nos bairros Cibrazém e Valec por R$ 3.278.209,08, de acordo com o contrato assinado pela prefeitura com a empresa AP Empree3ndimentos Eireli-EPP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *