Logo
  • Deu no D.O.

    A prefeitura de Paulo Ramos pagou mais de R$ 600 mil em cachês de 5 ‘artistas’, que se apresentaram no Festival Galo Duro. A coluna Deu no D.O. ainda traz as festanças das prefeituras de Lago do Junco, Anapurus, São José dos Basílios, Poção de Pedras, Bom Lugar e Viana. Onde tem fumaça, tem fogo…  

    Bê-a-bá – Sem que se saiba quais e quantas, de acordo com o Diário Oficial a I.O. Sempreendimentos foi contratada por R$ 3.202.917,77 para revitalizar, ampliar e adequar unidades escolares na zona rural no município de Lago do Junco. 

    Olê, olá I – O São João em São José dos Basílios deve ter sido animado. Pelo menos para Zé Cantor, contratado por R$ 150 mil, através da empresa ICZ Gravações, Participações e Entretenimentos LTDA. 

    Olê, olá II – Mas festa mesmo fez o cantor Nattan, que foi contratado através da Nattan Produções Artísticas Ltda. Para soltar a voz e recolher um trocado no São João de Anapurus por R$ 400.000,00. 

    Olê, olá III – Em Poção de Pedras, a estrutura e a organização dos festejos juninos ficaram por conta da F.B.F Ferreira Serviços LTDA, contratada por 323.318,00. 

    Olê, olá IV – Em Bom Lugar a organização do São João ficou por conta da Aprimorah Serviços e Empreendimentos LTDA, que faturou R$ 309.360,00. 

    A vida é uma festa I – Em Paulo Ramos miséria pouca e bobagem. A prefeitura não mediu esforços e gastou R$ 612 mil somente com cachês de artistas que participaram do Festival Galo Duro, que encerra domingo, dia 30, com cachê de R$ 121.400,00 pagos a Matheus Fernandes.  

    A Vida é uma festa II – A abertura do Galo Duro, dia 02, foi de R$ 130 mil pagos a banda Rafa e Pipo Marques; seguidos de R$ 150 mil, dia 9, faturados por Chicabana; R$ 80 mil, dia 16, na conta de Japãozin e Banda; e R$ 130 mil, dia 23, nas notas da banda Jonas Esticado. 

    Pilha alcalina – Enquanto alguns municípios acenderam a fogueira de São João, em Viana não vai ter beco escuro. A prefeitura contratou a empresa A de S Batista Empreendimentos e Serviços Ltda. Para fazer a manutenção da iluminação pública durante 12 meses por R$ 3,7 milhões. 

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo