Blog do Garrone

Deu no D.O.

DEUNODOPílula dourada – Saiu por nada menos de R$ 6.533.950,10 os dois contratos para compra de medicamentos e material hospitalar que a Prefeitura de Viana firmou com duas empresas. A Dimensão Distribuidora de Medicamentos Eireli vai receber R$ 2.237.600,00 e a Zilfarma Produtos Farmacêuticos ficou com o valor maior: R$ 4.296.350,10. Os dois contratos, formalizados em 15 de março, valem até 31 de dezembro.

Quitanda – Ainda na Prefeitura de Viana: a compra de material de construção e ferragens saiu por módicos R$ 2.999.372,00 e quem levou foi a L.C.M Mendonça – ME. O contrato, assinado em 7 de março, vale até 31 de dezembro.
Quitanda pesada – E a Prefeitura de Viana tem outro contrato milionário, dessa vez para locação de máquinas pesadas. A empresa Conserv Construções e Serviços Ltda. tem R$ 3.550.800,00 a receber pelo serviço e o documento foi assinado na mesma data do anterior e com mesmo prazo de vigência.

Junto e misturado – A Prefeitura de Buriticupu também tem pacote de contratos que ultrapassam os seis milhões de reais. São cinco contratos, assinados em 11 de março, com uma mesmíssima empresa, a A D Pontes – ME, que está levando uma bolada de R$ 6.150.923,56 para fornecer de um tudo: só em gêneros alimentícios o contrato é de R$ 1.579.336,00. Os outros quatro, para material de expediente, limpeza e didático saiu por R$ 4.571.587,56. A quina vale por dez meses.

Equipada – Outros cinco contratos da mesma Prefeitura de Buriticupu, dessa vez para fornecimento de equipamentos e periféricos de informática a um custo total de R$ 3.136.226,87. Duas empresas dividem essa conta: a A. S. dos Anjos – Com. e Serviços – ME foram dois contratos no valor total de R$ 150.901,00 e com a empresa J. C. S. Comércio Ltda – ME, três contratos totalizando R$ 2.985.325,87. Tudo assinado no dia 9 de março de 2016, valendo por dez meses.

Equipada 2 – Mais modesto, mas não tanto, foi o aparelhamento de informática da Prefeitura de Santa Rita. O contrato para fornecimento de equipamentos e suprimentos de informática, assinado em 15 de fevereiro, saiu por R$ 839.500,00,00. O negócio é válido até 31 de dezembro.

Asfalto quente – Para a compra de areia e asfalto usinado quente (AAUQ), a Prefeitura de Imperatriz firmou um único contrato com a empresa Imperial Construções e Engenharia Ltda. no valor de R$ 6.019.000,00. Negócio valendo de 15 de março até 31 de dezembro.

Serviço completo – Em Codó a manutenção das unidades escolares, postos de saúde e outros prédios públicos, com recuperação e conserto de móveis e carteiras, saiu por um total de R$ 5.004.254,40, divididos em três contratos com duas empresas diferentes, assinados em 18 de março e vigentes até 30 de dezembro. A DELTA Projetos e Construções Ltda. – EPP ficou com dois deles, que juntos somam R$ 4.631.458,07, enquanto a empresa José Wilker Machado Mendes – ME ficou com a palhinha de um só contrato de R$ 372.796,33.

Oficina – Mais uma pérola da Prefeitura de Codó: pacotão de nove contratos com três empresas para fornecimento de peças e pneus e a conta saiu por R$ 2.871.372,89. Cada empresa ficou com três contratos assim divididos: F. C. L. Lima – ME (R$ 770.655,44); A R A de Albuquerque – ME (R$ 1.106.888,55) e M Silva Martins EIRELI – ME (R$ 993.828,90). Todos os documentos foram assinados em 22 de fevereiro, válidos até 30 de dezembro.

Bandeco – Em Bacabeira a Prefeitura tem dois contratos no valor total de R$ 1.096.500,00, um para fornecimento de quentinhas e outro para locação de estrutura para eventos. A empresa Joel M. da Silva Comércio – ME levou o contrato de quentinhas e deve receber R$ 560.000,00. Já a M.A.S. Pereira – ME, que ficou com o contrato para locação de estruturas, tem 536.500,00 a receber. A papelada foi assinada em 19 de fevereiro, valendo até 31 de dezembro.

Pé na cova – A Prefeitura de Coroatá tem contrato com a empresa M G Fernandes de Lima – ME para prestação de serviços funerários, pelo qual deve pagar R$ 182.044,00. O documento, assinado em 16 de março, vale até 31 de dezembro.

Pé na cova 2 – As urnas funerárias compradas pela Prefeitura de São João do Carú custaram um pouco menos: R$ 162.200,00. E quem levou o contrato, formalizado em 9 de fevereiro, foi a M. M. DE Sousa Jansen. O negócio também vale até 31 de dezembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *