Logo
  • Bizarro

    Rosário se une contra o IPHAN em defesa da torneira flutuante

    Torneira flutuante em Rosário

    Henrique Bóis

    Moradores, Prefeitura e Câmara municipal de Rosário se uniram em torno de uma causa: a manutenção da torneira flutuante. Abaixo-assinados, várias hashtags (#ficatorneiraflutuante é uma delas), petições públicas de repúdio e apoio dos vereadores, enfim… Historicamente o caso nos remete ao processo dos capuchinhos contra as formigas em São Luís no século XVIII.

    A obra é uma invenção do rosariense e secretário de Educação do Município, Joaquim Sousa Neto, inspirada em idênticos existentes em cidades como Bruxelas, na Bélgica, e Otawa, no Canadá.

    Um ofício da superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Iphan-MA,  enviado pelo superintendente Maurício Itapary para prefeitura de Rosário, alertando sobre a necessidade de informação sobre realização de obra na área onde o órgão requalifica prédios históricos da extinta RFFSA disparou reações ufanistas de tudo quanto é lado.

    Além de agradar rosarienses e moradores, a intrigante torneira flutuante se tornou o grande atrativo da cidade. Inicialmente construída com parcos recursos por iniciativa de Joaquim, utilizando um conjunto a caixas d´águas, o monumento prosperou para uma fonte com traços arquitetônicos definidos por um projeto executado pela prefeitura. Segundo Joaquim Neto o custo inicial não excedeu R$ 5 mil. A nova construção não tem valor publicado.

    A atração despertou orgulhos ufanistas da população e administração a ponto de autoridades de passagem pela cidade serem convidadas a posar para fotos no local.  Foi assim como secretário de Estado de Educação, Felipe Camarão, e com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, que posou com o senador Roberto Rocha sábado passado.

    Gustavo Canuto, Roberto Rocha, Joaquim Neto, prefeita Irlahi (de verde) e secretários

    Joaquim Neto interpretou o ofício do superintende Maurício Itapary como pura dor de cotovelo. O Iphan realiza nas proximidades da torneira flutuantes a recuperação de três prédios do acervo valorado pelo Iphan. Além de Rosário, são valoradas pelo Iphan as estações de Caxias, Santa Rita (Recurso) e Codó. Depois das obras concluídas, os prédios serão repassados para que a prefeitura dos municípios passe a administrar os espaços da forma que entenderem.

    “O caso da Torneira flutuante me causa uma grande estranheza. Estava presente quando o IPHAN apresentou a primeira proposta de revitalização do complexo ferroviário. Eles mostraram um slide em que contemplava uma fonte. Devido o alto custo de manutenção, foi retirado do projeto. Hoje temos uma fonte que não afetou em nada os recursos deles que simplesmente querem tirá-lo. Onde está a coerência? Se fosse idéia deles, valia, mas como não é, não pode. Não entendo mais nada”, retruca Joaquim Neto, inventor informal que no passado foi notabilizado por inventar um filtro cerâmico poderoso contra a cólera.

    O superintendente do Iphan, Maurício Itapary, diz que não é nada disso. “Não tenho nada contra a obra. O que fizemos foi informar a prefeitura para que nos comunique sobre realização de obra na área em que estamos restaurando os prédios valorados. pelo instituto”, ressalta, embora reconheça que o comunicado à prefeitura teve caráter de notificação.

    Neste mesmo ofício, a superintendência considera a obra “irregular” e esclarece em nota técnica, que a torneira “chama demasiada atenção” no início da área do Complexo Ferroviário de Rosário daqueles que chegam a Rosário, vindos da cidade vizinha, no caso, Bacabeira, a mesma da refinaria que nunca nem chegou.

    Nova espécie de dinossauro é encontrada no Maranhão

    O paleontólogo Rafael Lindoso, do IFMA

    Após quatro anos de pesquisa, a comunidade científica internacional reconheceu a descoberta de mais uma espécie de dinossauro encontrada em terras maranhenses: o Itapeuasaurus cajapioensis. O trabalho foi conduzido pelo paleontólogo e professor do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Rafael Lindoso, em colaboração com pesquisadores de outras instituições maranhenses e brasileiras como a Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o Museu de Paleontologia Pedro Candolo. O nome escolhido é uma homenagem à praia de Itapeua, em Cajapió/MA, onde os fósseis foram recolhidos durante uma expedição paleontológica realizada em junho de 2015.

    O estudo liderado pelo professor Lindoso foi publicado no fim do mês de julho pelo periódico britânico Cretaceous Research. O trabalho descreve a segunda espécie de dinossauros descoberta no Maranhão – a primeira, o Amazonsaurus maranhensis, foi identificada em 2003 a partir de fósseis retirados das margens do rio Itapecuru. Tanto o Amazonsaurus quanto o Itapeuasaurus são saurópodes, tipos de dinossauros herbívoros e quadrúpedes caracterizados por pescoço e cauda bastante compridos. As duas espécies com identidade maranhense pertencem, entretanto, a um grupo de saurópodes caracterizado pelo pescoço relativamente mais curto, os Rebbachisauridae.

    Deu no D.O.

    Aproveite a chuva que ainda cai em pleno mês de agosto e leia a coluna Deu no D.O. com os caudalosos contratos dos nossos gestores públicos e veja quais municípios podem afundar. Nas previsões meteorológicas estão Olho d’Água das Cunhãs, Itinga, São João dos Patos, Formosa da Serra Negra, Santo Antônio dos Lopes, Humberto de Campos e a Câmara Municipal de Caxias. O que vai pelo ralo depende de quem abre a torneira. São Pedro que o diga…

    Papel moeda I – A impressão que se tem é que Olho d’Água das Cunhãs, assim como outros municípios, ignora as transformações digitais e investe na indústria gráfica como se essa ainda fosse, como fora no século passado, uma necessidade da administração pública. E assim meteu um pregão presencial com cinco lotes somados em R$ 1.789.000,00 para a contratação de serviços gráficos.

    Papel moeda II – O certame foi vencido pelas empresas L. Brandão Rodrigues – ME, E.G. Araújo Eireli – ME, e E.F. dos Santos Filho – ME. A primeira e a segunda faturaram cada uma um lote de R$ 563.000,00 e 312.370.00, respectivamente, e a terceira arrematou dois no valor de R$ 310.000,00 e R$ 604.000,00, cada.

    Com gosto de gás – Quem também resolveu meter o pregão na população foi a prefeitura de Itinga, que bateu o martelo em quatro lotes para adquirir R$ 2.440.836,30 em combustível da empresa M.A. Auto Posto Avenida Ltda. O petróleo vai encher o tanque das secretarias de Administração (R$ 1.318.338,00); Educação (R$ 710.039,40); Saúde (R$ 356.091,40) e Assistência Social (R$ 56.367,50).

    Borracharia – Mas se o negócio é botar pra rodar, a prefeitura de São João dos Patos não fica pra trás, pelo menos se depender de pneus e peças automotivas. Foram oito contratos com quilometragem total de R$ 949.972,84 dividida entre a Uranio de Sá Paz-ME (R$ 509.002,84) e a A. Cesar C. Ferreira – ME (R$ 440.970,00). Ambas vão atender as secretarias da Mulher, Educação, Obras e Serviços Urbanos, e Saúde.

    Ferraris – A pole position, no entanto, ficou com a prefeitura de Formosa da Serra Negra, que revelou a potencia da sua frota ao investir R$ 3.536.479,39 na aquisição de peças e manutenção dos veículos oficiais do município. O ronco dos motores ficou por conta de três contratos da F. R. Campos Peças e Serviços (R$ 1.212.279,98) e dois da J. da M. P. da Silva Peças (R$ 2.323.661,97). Agora é só esperar a narração de Galvão Bueno.

    Curva perigosa I – A pista foi a CODEVASF abastecer Santo Antônio dos Lopes com R$ 4.447.512,29 em convênios para construções de barragens de terra e recuperar estradas vicinais do município. A prefeitura quebrou asa para as empresas Enciza Engenharia LTDA e M.R.A. Serviços e Construções Ltda, vencedoras dos contratos para a execução das obras.

    Curva perigosa II  R$ 1.829.241,17 voou para a Enciza construir aterros nos povoados Baixão do Mesquita, Lagoa Velha, Lagoinha dos Rodrigues, Maribondo e Santa Tereza; e R$ 2.618.271,12 para a M.R.A. recuperar estradas vicinais nos trechos ligando o povoado Livramento à sede (R$ 624.610,00) e ao povoado Centro do Rodrigues (R$ 561.390,70).

    Curva perigosa III – O terceiro contrato da M.R.A. no valor de R$ 1.432.270,41 publicado no Diário Oficial não especifica quais vicinais serão recuperadas. Caso as obras não decolem por qualquer desvio de foro privilegiado e a aplicação dos recursos não seja devidamente comprovada, os (ir) responsáveis devem ser enquadrados pelos fiscais federais de pista e controle.

    Sede ao pote  São Pedro ainda vai ter que mandar muita chuva para superar a quantidade de água mineral adquirida pela prefeitura de Humberto de Campos através de três caudalosos contratos que abasteceram a fonte da C.A. Maia Soares e Cia. Ltda em R$ 439.600,00. Considerando o maior preço do galão de 20 litros cobrados em São Luís, o recurso que saiu pela torneira e desidratou a fonte pública equivale a 586mil e 200 litros do precioso líquido.

    Mordomias – Enquanto isso, os vereadores de Caxias celebraram os comes e bebes garantidos pelo contrato de bandeja, no valor de R$ 423.400,00, com a J.F. Silva Filho Comércio para o fornecimento de buffet durante o ano de 2018. 

    S.O.S. – Sem especificar a carga horária e o mérito da escolha que justifique os valores e a contratação direta para o atendimento de saúde, a prefeitura de Olinda Nova contratou os médicos Anilton Lima e Silva, Luís Felipe de Bello Cardoso, Lenimarx Soares Costa, João Dutra Frazão, José de Ribamar Amorim, Antônio Pedro Gomes e Luciana Cunha Duarte para prestarem serviço no Hospital Municipal durante 12 meses por R$ 414.000,00; o que equivale a um salário mensal de R$ 34.166,66.

    Mais uma mentira desmascarada

    Foto real mostra Flávio Dino e outros clientes fazendo compras no supermercado

    Foto manipulada retira clientes da cena para dar falsa ideia de isolamento do local

    Parece ilimitada a capacidade dos adversários do governador Flávio Dino em criar falsas notícias para tentar desgastar a imagem do líder comunista.

    A mais recente mentira desmascarada é relativa ao inverossímil isolamento de área do Supermercado Mateus, no Renascença, para que Flávio Dino fizesse as compras, no último fim de semana.

    A montagem é tão grotesca que basta comparar a foto real com a imagem manipulada no blog ligado à oposição sarneysta. Facilmente se identifica que há outros clientes na gôndola em que se encontra o governador.

    E não é apenas a imagem a repor a verdade. Quem presenciou o momento em que Flávio Dino esteve no supermercado assegura que mais de dez pessoas pararam no local e pediram para fazer fotos com o governador.

    Deve ser realmente muito difícil para os privilegiados de ontem ver um governador de Estado dispensar as benesses palacianas, regadas a lagostas e vinhos requintados, para frequentar o supermercado e fazer suas compras. Aliás, hábito da maioria dos maranhenses, que trabalha duro para aquirir o pão de cada dia…

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo