Blog do Garrone

A cerca, o comunismo e o ignorante que fala para demonstrar a própria ignorância

A cerca vermelha que faz apologia ao comunismo,

A cerca vermelha que faz apologia ao comunismo, segundo fantasia obtusa de blogueiro

Certa vez o presidente norte-americano Barack Obama disse diante das declarações racistas de um dirigente da NBA, que “quando um ignorante fala para demonstrar a sua ignorância, não podemos fazer nada, só deixa-lo falar”.

De início foi assim que pensei em reagir a tamanha besteira publicada em alguns blogs da capital sobre a cerca vermelha que isola o Castelão, que seria uma apologia escancarada ao comunismo, “regime” que o governador Flávio Dino (PC do B) pretende implantar no Maranhão.

Mas diante do risco do fascismo e da idiotização de parcela da população brasileira, alimentados pelo ódio contra quem luta por uma sociedade mais justa, é importante combater as distorções históricas, que o autor do texto utiliza para criminalizar os objetivos das ideologias de esquerda, em especial a comunista.

Ele começa com a impressionante classificação do comunismo como um regime político ditatorial, enquanto que a sua concepção é econômica e não política, tão pouco pode-se classificá-lo como um regime autoritário.

As ditaduras sejam de esquerda ou de direita são resultados do desejo permanente de poder de grupos e pessoas com interesses comuns, o que não se pode confundir com a do proletariado, idealizada por Karl Marx no século XIX como um estado democrático caracterizado por um governo de classe, onde toda a autoridade pública é eleita e revogada pelo sufrágio universal.

comunistas-comem-criancinhasPara Marx, toda forma de governo é uma ditadura de uma classe sobre outra.

Quase três séculos depois, como tudo no mundo, o ideário comunista também mudou. E hoje acredita que uma sociedade igualitária pode ser alcançada sem a necessidade das extinções das classes sociais e da propriedade privada,  mas com o fim dos privilégios, da corrupção, da impunidade, e o engajamento do poder público no combate à miséria, como procura fazer o comunista, Flávio Dino.

Para completar a sua campanha anticomunista obtusa e retrógrada, o delirante missivista diz que o comunismo é para muitos historiadores, sem citar nenhum, “o regime político mais cruel e opressor da história da humanidade, mais sanguinário até do que o nazismo de Adolf Hitler”.

Antes, porém, talvez para linkar com as barbaridades de Stalin, o sujeito classifica como imponente a grade de ferro, que transformou, segundo a miopia permite, o complexo esportivo em uma fortaleza, e uma versão maranhense do Kremilin, sede do poder político da Rússia, que também possui uma muralha de proteção na cor vermelha, “a cor do comunismo”.

Ele, no entanto, não sei se por desconhecimento ou de maneira deliberada, esquece que o Exército Vermelho, como bem observou o teólogo Leonardo Boff em artigo “Contra a imbecilidade do atual anticomunismo”, publicado em seu blog, cercou e ocupou Berlim, obrigando Hitler a se matar.

E se não fosse a heróica resistência e o sacrifício dos “povos da União Soviética – que perdeu na Segunda Guerra 30 milhões de habitantes – boa parte dos anticomunistas de hoje, teriam virado sabão nas câmaras de gás e nos fornos crematórios de Auschwitz, Birkenau e outros campos de concentração”.

3 comentários sobre “A cerca, o comunismo e o ignorante que fala para demonstrar a própria ignorância

  1. Marcio Amorim

    Garrone, parabéns pela lucidez do texto. Nada ou nenhum extremo faz bem ou é bom. Observei a grade colocada no complexo esportivo também e só pensei: poxa, porque nenhum gestor fez isso antes?

    Os que perderam privilégios pela mudança de governo se corroem vendo a mudança. Escolas, estradas, hospitais… E tudo de VERDADE.

    Flávio Dino é comunista sim, mas isso o faz ter aqueles pensamentos retrógrados do comunismo e isso incomoda esses que não fizeram nada enquanto tinham o poder.

  2. José Maria de Sousa Medeiros

    Esclarecedor. Viva o vermelho. Garrone a palavra Brasil quer dizer vermelho.se alguém duvidar é só consultar o “pai dos burros”.

  3. Augusto Ribeiro

    Muito bem dito. A limitação intelectual dos blog’s anti-governo Flávio Dino é clara e evidente. Eles não se conformam com o que vem sendo feito em benefício do povo do Maranhão. São apedeutas, néscios, idiotas com nome e sobrenome que choram e lamentam a viuvez da oligarquia. A estes digo, estudo e leitura nunca fizeram mal a ninguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *