Logo
  • Política

    Deputada Flordelis é acusada de ser mandante do assassinato do marido

    A Polícia Civil do Rio de Janeiro desencadeou uma operação na manhã desta segunda-feira (24) para cumprir mandados de busca e apreensão e 9 prisões relacionadas ao assassinato do pastor Anderson do Carmo.

    A deputada federal Flordelis (PSD-RJ), que tem foro privilegiado, é acusada de homicídio triplamente qualificado, associação criminosa, uso de documentos falsos e falsidade ideológica. Segundo os investigadores, a viúva é a mandante do crime.

    Os mandados estão sendo cumpridos na casa de Flordelis, em Niterói, no Rio de Janeiro, e em Brasília. Flordelis é uma das 11 pessoas denunciadas, mas não há mandado de prisão contra ela.

    Anderson do Carmo foi executado por volta das 4h, com mais de 30 tiros, pouco tempo após chegar em casa, em junho de 2019.

    Flávio dos Santos, filho biológico de Flordelis, é apontado como autor dos disparos que mataram o pastor. Ele foi preso no velório do padrasto.

    Já Lucas dos Santos de Souza, preso horas depois do irmão, é acusado de ter conseguido a arma do crime.

    Onda Bolsonaro

    Em seu primeiro mandato, a cantora e pastora nascida e criada na Favela do Jacarezinho, subúrbio do Rio, Flordelis dos Santos de Souza, de 49 anos, foi eleita na onda Jair Bolsonaro em 2018 com mais de 196 mil votos, após ser derrotada nas eleições para vereadora em 2004 em São Gonçalo e figurar como pré-candidata do MDB para a prefeitura em 2016.

    Quando eleita, Flordelis chegou a encontrar Bolsonaro e disse que com a eleição dele o “Brasil voltou a acreditar, voltou a ter esperança”. A pastora também já teve encontros reservados com Michelle Bolsonaro antes do assassinato.

    Da Revista Fórum

     

    Bolsonaro ignora os mais de 114 mil mortos e chama jornalistas de “bundões”

    247 – Com o Brasil registrando mais de 114 mil mortes em função da pandemia do novo coronavírus, Jair Bolsonaro participou de um evento, intitulado “Vencendo a Covid-19″, nesta segunda-feira (24), no Palácio do Planalto. Durante sua participação, Bolsonaro não fez qualquer menção às vítimas da Covid-19 e voltou a atacar os jornalistas. “Quando pega num bundão de vocês a chance de sobreviver é bem menor”, disse. Neste domingo ele disse ter vontade de “encher de porrada” a boca de um jornalista.

    Nesta segunda, Bolsonaro – que já foi contaminado pela Covid-19 – relembrou que foi criticado ao dizer que seu “histórico de atleta” ajudava a impedir complicações de saúde derivadas do novo coronavírus e que virou alvo do “deboche da mídia” ao mencionar o fato. “Aquela história de atleta né, que o pessoal da imprensa vai para o deboche, mas quando pega num bundão de vocês a chance de sobreviver é bem menor”, disparou.

    Ainda segundo ele, os jornalistas sabem “fazer maldade” e “usar a caneta com maldade em grande parte”. Apesar disso, ele citou o jornalista Alexandre Garcia – que vem atuando como uma espécie de porta-voz informal do governo – como uma “exceção”. “Tem exceções como aqui o Alexandre Garcia. A chance de [um jornalista] sobreviver é bem menor do que a minha. E quem falou ‘gripezinha’ foi o Dráuzio Varella, deixar bem claro. E depois eu fui atrás”, disse.

    No evento, organizado pelo assessor da Casa Civil Arthur Weintraub para promover o uso da hidroxicloroquina e da cloroquina no combate à Covid-19, apesar do uso destes medicamentos não serem indicados por órgãos como a Organização Mundial de Saúde (OM), Bolsonaro afirmou que “se a hidroxicloroquina não tivesse sido politizada, muito mais vidas poderiam ter sido salvas dessas 115 mil perdidas”.

    Othelino Neto decreta luto oficial pelo falecimento do advogado e jornalista Sálvio Dino

    O presidente da Assembleia do Estado do Maranhão, deputado Othelino Neto (PC do B), decretou luto oficial de três dias pelo falecimento do ex-deputado estadual e procurador aposentado Sálvio Dino, ocorrido nesta segunda-feira (24), em São Luís.

    Pai do governador do Maranhão, Flávio Dino, do procurador da República Nicolau Dino, do advogado Sálvio Dino Júnior e do empresário Saulo Dino, o jornalista, escritor e advogado Sálvio Dino é natural de Grajaú (MA) e membro da Academia Maranhense de Letras, onde ocupava a cadeira n° 32. Foi fundador da Academia Imperatrizense de Letra, da qual foi vice-presidente em 1991/1992.

    Sálvio Dino também teve destacada trajetória na política maranhense. Foi eleito vereador de São Luís em 1954 e reeleito em 1958. Em 1962, elegeu-se deputado estadual do Maranhão, tendo sido cassado, em 1964, pelo golpe militar. Em 1974, foi novamente eleito deputado estadual e prefeito do município de João Lisboa no período de 1989 a 1997.

    Em Nota de Pesar, a Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão manifestou solidariedade e pêsames à família enlutada.

    NOTA DE PESAR

    A Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão manifesta profundo pesar pelo falecimento do ex-deputado estadual e procurador aposentado Sálvio Dino, pai do governador Flávio Dino (PCdoB), ocorrido nesta segunda-feira (24), em São Luís.

    Natural de Grajaú (MA), Sálvio Dino era jornalista, advogado e escritor. Membro da Academia Maranhense de Letras, ocupava a cadeira n° 32. Foi fundador da Academia Imperatrizense de Letra, da qual foi vice-presidente em 1991/1992.

    Sálvio Dino também teve destacada trajetória na política maranhense. Foi eleito vereador de São Luís em 1954 e reeleito em 1958. Em 1962, elegeu-se deputado estadual do Maranhão, tendo sido cassado, em 1964, pelo golpe militar. Em 1974, foi novamente eleito deputado estadual e prefeito do município de João Lisboa no período de 1989 a 1997.

    Além do governador Flávio Dino, Sálvio Dino era pai do procurador da República, Nicolau Dino, do advogado Sálvio Dino Júnior e do empresário Saulo Dino. Era casado com Iolete Aranha de Castro e Costa. Neste momento de dor pela perda do ente querido, a Assembleia Legislativa solidariza-se com os familiares e amigos, a quem manifesta sinceros pêsames.

    Deputado Othelino Neto
    Presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão

    Maranhão é o 2º Estado que mais criou empregos neste ano em todo o Brasil

    O Maranhão criou 4.919 empregos com carteira assinada no mês de julho, de acordo com dados do governo federal. É o segundo mês seguido em que o estado cria postos formais de trabalho.

    Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério da Economia.

    O desempenho em julho levou o Maranhão à condição de segundo Estado que mais criou vagas no acumulado do ano (2.327 postos), desde janeiro, em todo o Brasil.

    Apenas o Mato Grosso (8.372) tem desempenho melhor. Somente seis Estados têm saldo positivo no ano. Outros 20 e o Distrito Federal têm saldo negativo.

    Contando o Brasil inteiro, foram perdidos 1.092.578 empregos com carteira assinada. Ou, seja mais de um milhão.

    O Maranhão também teve, em julho, o melhor desempenho em comparação ao período anterior, com crescimento de 1,03%.

     

    Pai do governador Flávio Dino morre vítima da Covid-19

    Sálvio Dino, pai do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), morreu no início da manhã desta segunda-feira (24), vítima do novo coronavírus (Covid-19). Ele tinha 88 anos e estava em tratamento na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Carlos Macieira, em São Luís.

    A notícia da morte de Sávio Dino foi confirmada pelo próprio governador do estado em sua rede social. Na postagem, Flávio Dino presta uma homenagem ao pai com um poema do escritor maranhense Gonçalves Dias.

    “Não chores, meu filho; Não chores, que a vida é lita renhida: viver é lutar. A vida é combate, que os fracos abate, que os fortes, os bravos só pode exaltar”, referencia o governador, dizendo que ele e o pai recitaram o trecho juntos na última quinta-feira (20).

    Carreira política

    Sálvio Dino era advogado e também atuou na política do Maranhão. Membro da Academia Maranhense de Letras, foi deputado estadual nos período de 1963 a 1968 e de 1975 a 1979.

    Ele também foi prefeito do município de João Lisboa em 1988 e, em 1996, se elegeu para o segundo mandato na cidade.

    Do G1

     

    Deu no D.O.

    Depois de uma longa ausência, a coluna Deu no D.O. retira do isolamento os contratos dos nossos bem-amados. De novo, só o velho normal. Caixões de compensado e tampa de durapox, por conta das prefeituras amigas das horas difíceis, Riachão, Anapurus e Ribamar, servem de conforto a quem deixa esse mundo de lágrimas pela rapidez com que se é consumido pelos vermes. Pinheiro, Imperatriz, Icatú e Caxias ainda ilustram o pandemônio. Cuidado com as visagens…

    Coringa – A Câmara Municipal de Santa Inês premiou no dia 12 de março com dispensa de licitação a Comercial Santo Expedito-ME e Marinalva da Silva Muniz.

    Ágnus-dei – Com nome de santo, a empresa alcançou a graça de R$ 9.800,00 pela confecção de medalhas de honra ao mérito “14 de março”,  que ornaram os pescoços de apenas três santa-inesenses, o médico Bringel e os empresários João Rolim e Fernando Antônio.

    De Bandeja – Data da emancipação política do município, as “comendas” foram entregues no dia 13, sexta-feira, durante sessão solene em homenagem aos 53 anos de autonomia do antigo povoado de Pindaré. Os quitutes devem ter ficado por conta dos números sorteados do CPF de Marinalva, premiada com R$ 17.300,00, pelo serviço de coffee break durante as sessões e eventos da gloriosa Câmara.

    Força magnética – A natureza ferrosa de Santa Inês também foi motivo de um pregão presencial para a aquisição de R$ 1.149.603,60 em ferros, colunas, treliças, etc. A empresa O J Construtora LTDA EPP levou toda essa prata.

    Reflexo – O brilho do metal, no entanto, reluziu mesmo foi em Pinheiro, cidade iluminada pelos 4,5 milhões de Quilowatts (KW) da E. Alves Barbosa Empreendimentos e Serviços.

    Fio terra – A carga dos cifrões garante a manutenção preventiva e corretiva do sistema de iluminação pública da Princesa da Baixada e correspondem a nove meses de trocas lâmpadas, luminárias, etc. 

    Fio pelado – A gestão do sistema, o pagamento da fatura de energia consumida nos postes da cidade e a expansão da rede não são cobertos pelo vil metal. O objeto do contrato publicado no Diário Oficial é claro, por um lado: “execução integral dos serviços contínuos de manutenção preventiva e corretiva”.

    Gato – E obscuro por outro: não se sabe se o serviço contratado é ou não restrito à sede do município.

    Fluorescente – Já a corrente elétrica na região tocantina acendeu 7 milhões de luzes verdinhas abrindo passagem ao Consórcio Sinalizando Imperatriz. A Alcabox Ltda e Sema Via Ind. E Com. E Serviços Ltda, vão engarrafar 7 milhas por conta da implantação das sinalizações horizontal, vertical e semafórica.

    Roupa de baixo – Enquanto isso, em Icatu não vai ficar um gato pelado no meio da rua atrapalhando o trânsito. A etiqueta da prefeitura para todas as estações encomendou R$ 690 mil em confecções de malharia.

    Camelo – A linha passou quatro vezes pelo mesmo buraco da agulha da empresa Maximo & Oliveira Ltda. O traçado atendeu a demanda de quatro secretarias, cada uma com sua indumentária: Assistência Social (R$ 102 mil); Educação (R$ 320 mil); Saúde (R$ 192 mil) e Administração (R$ 74 mil).

    Manequim – O alinhavado total daria para cobrir as 27 mil almas icatuenses.  Com tanto pano pra manga ninguém vai ser pego de calças curtas.

                                                                                       RESERVA DE POBRE É CAIXÃO

    Sopa de pedra – Mas, de onde ninguém escapa é na chapa das mesas, por mais que a lagoa seja azul. Antes mesmo que a Covid-19 aportasse por suas beiradas, Riachão já enfrentava uma pandemia mortal. É o que traduz o modelo que estima os riachãoenses que estão com o pé na cova aplicado pelo prefeito municipal.  

    Na medida – Imune à subnotificação, o Ritmo de Transmissão (RT) na região é calculado pelo número de caixões. No dia 20 de abril R$ 601 mil foram enterrados na Cavalcante & Matos Ltda pelo “Vá com Deus” até o último segundo de 2020. O objetivo do fornecimento de urnas funerárias e serviços póstumos com os preços pela hora da morte publicado no Diário Oficial é de uma exatidão matemática : “…para contratações eventuais e futuras, visando atender demanda, de interesse da Secretaria Municipal de Assistência Social”.

    Conforto – De compensado e tampa de Duratex, os que deixam esse mundo de lágrimas tem a garantia de serem rapidinho consumidos pelos vermes.  

    O Céu – Na mesma pegada mortal,  com tudo protegido pelo santo, a prefeitura de São José de Ribamar também se preocupou com o caixão de quem parte. No mesmo padrão de conforto adequado aos vermes, o pregão da alça em 410 urnas (60 infantis) e translado fúnebre saiu por R$ 268.765,50. Cada paletó de madeira adulto e o ingresso aos sete palmos de terra custou R$ 610,00; sem direito a meia passagem.

    Hora extrema – Quem toma de conta da bilheteria é a W B Lima Comércio e Serviços – ME.

    Campos elíseos – Já em Anapurus quem tiver o último suspiro é melhor que esteja contaminado pela Covid. O bom translado para o brejo é um privilégio às vítimas da pandemia. O forro de TNT é de fazer inveja.

    Votos de condolências – Com dispensa de licitação, a Nacional Pax – Amiga das horas difíceis, cobrou pelo caixão-conforto adulto R$ 750,00. Para 180 dias e 400 (100 infantis) encaminhamentos fúnebres foram previstas 280 mil caras e coroas. Três meses depois, seis óbitos, muita urna, coroa de flores e compensado pra queimar.

    Selfs – Para encerrar, tantas são as urnas futuras, os exemplos de gentilezas com os desvalidos, os smartphones dos cocais. A título de dar mais agilidade ao cadastramento de pessoas no programa de auxílio do gov. Federal, a prefeitura de Caxias comprou dez celulares na vizinha capital do Piauí. Todos no modelo QHD Super Amoled, tela de 4,7, quad-core a 1,3 GHz, 1GB de RAM, 8GB de armazenamento, dentre outras capacidades da Samsung. Já pensou, os servidores da secretaria de assistência social cadastrando as pessoas com um celular em mãos?

    É a glória – O sentir-se respeitado com um atendimento preferencial? O seu nome na agenda de um  celular de uma autoridade? Como dizia o comercial, “o primeiro sutiã a gente nunca esquece”.

    Canal – Comprar 10 celulares para cadastrar pessoas? Só se a ligação for a cabo…

    Sem divulgar número de óbitos por bairro, SES anula a percepção do desastre e estimula o sextou do coronavírus

                                               O Clamor da Hora Presente

    charge abismo Líbero: Folha

    Do pedido de prisão ao nem Rui Palhano Salva, o sextou do coronavírus nas baladas noturnas da cidade tem atiçado as redes sociais.

    O novo episódio da série O Clamor da Hora Presente observa que o estímulo à pregação do corona inofensivo, pode ser do próprio portal da Saúde.

    A Secretaria de Estado da Saúde divulga os casos positivos, mas omite o número de óbitos por bairro.

    Uma rua só é perigosa, quando divulgados os crimes nela cometidos!

                     _______________________________

                    Ao não divulgar número de óbitos  

                   SES estimula o sextou da pandemia

    A morte sem nome e, particularmente no Maranhão sem endereço, anula por completo a percepção do desastre provocado pelo coronavírus e contribui para o engano que nos afeta e ameaça.

    Com a redução significativa dos números de novos casos e óbitos registrados diariamente pelos boletins epidemiológicos dos últimos quatro meses, maior é a falsa sensação de normalidade.

    LEIA MAIS

    Maranhão é o Estado há mais tempo com taxa de contágio reduzida de coronavírus

    Casos e mortes por coronavírus no Brasil em 21 de agosto

    E o que é pior, sem o número de óbitos por bairro toma-se o todo pela parte. Embora, os boletins revelem a contenção da pandemia em São Luís, não traduzem a realidade social das regiões periféricas da capital.

    Os casos positivos na Cidade Operária e Cohatrac I, II, III, IV e Primavera-Cohatrac, por exemplo, aumentaram, entre 28 de abril e 20 de agosto, quase 500%.

    Saíram de 58 e 49 registros, quarta e sétima colocação no ranking pandêmico, para 333 e 256, segundo e quarto colocados respectivamente.

    Feira da Cidade Operária: poucas máscaras, tomates e bananas. Foto: Imirante

    Enquadrar esses bairros na classificação “reduzido”, considerando os últimos sete dias, 9 e 8 novos casos na Cidade Operária e Cohatrac, é medir a chapa quente com a tabuada fria.

    Por mais que tenha um comércio efervescente, esses dois bairros, além de reunir um contingente de famílias menos favorecidas, fazem fronteira; ou melhor, se misturam a uma dezena de vilas, residenciais, recantos, em situação pior ainda.

    Consequência de um crescimento desordenado, essas duas regiões não possuem saneamento básico adequado e enfrentam toda ordem de privações socioeconômicas.

    Segundo a unanimidade das pesquisas, estas condições são responsáveis pela alta incidência das comorbidades que aumentam a gravidade e a mortalidade da Covid-19.

    LEIA MAIS

    Por que o coronavírus mata mais as pessoas negras e pobres no Brasil e no Mundo

    Risco, desigualdade e o valor da vida humana na pandemia

    Por que minorias étnicas e sociais são as mais vulneráveis à Covid-19

    Covid mata mais entre trabalhadores que dependem do transporte coletivo

    Risco de morrer por Covid-19 na cidade de SP é 50% maior em áreas mais pobres, diz estudo da USP

    Resguardadas as devidas diferenças, a existência nessa região, como em tantas outras que não enfeitam os cartões postais da Ilha do Amor, corre no fio da navalha.

    Daí que, por mais reduzido que seja, o número de casos, um que seja, nas áreas mais pobres da Ilha, representa um maior risco de vida.

    Fora do alcance das recomendações científicas transmitidas do Palácio dos Leões e sem o registro de mortes, a periferia pobre acaba aderindo às crenças emitidas do “meio da rua”, o cercadinho do Alvorada.

    Ao ocultar os recuperados, os óbitos e os em tratamento, e divulgar somente os casos positivos, além de não germinar o medo, na medida certa em que se torne um aliado das ações preventivas, a Secretaria de Estado da Saúde estimula a pregação do corona inofensivo.

    Uma pandemia, que não bate na porta, não mata um vizinho e que só aparece na televisão, com televisão se parece.

                                              Compare os números da pandemia

    Dia 28 de abril

    1 – Turu – 94

    2 -Calhau – 81

    3 – Renascença – 75

    4 – Cidade Operária – 58

    5 – Araçagy – 53

    6 – Anjo da Guarda – 51

    7 – Cohatrac I, II, III, IV, Primavera-Cohatrac – 49

    8 – Liberdade – 45

    9 – Bairro de Fátima – 44

    10 – Centro – 41

    11 – Vila Embratel – 41

    12 – Cohama – 39

    13 – Bequimão – 38

    14 – Ponta d’Areia – 38

    15 – Monte Castelo – 36

    16 – Coroadinho – 35

    17 – Maiobão – 32

    18 – Anil – 31

    19 – Conjunto Habitacional Vinhais – 30

    20 – João Paulo – 30

    Dia 21 de agosto

    1 – Turu 460

    2 – Cidade Operária 333

    3 –  Renascença 316

    4 – São Luís Cohatrac I, II, III, IV, Primavera-Cohatrac 256

     5 – Centro 250

    6 – Calhau 218

    7 – Anjo da Guarda 201

    8 –  Maiobão 197

    9 – Cohama 185

    10 – Anil 180

    11 – Araçagy 177

    12 –  São Francisco 175

    13 – Olho D’água 174

    14 –  Vila Embratel 154

    15 – Liberdade 151

    16 – Bequimão 141

    17 – Jardim São Cristóvão / Conjunto Juçara / Conjunto Penalva 140

    18 – Ponta d’Areia 140

    19 – Bairro de Fátima 135

    20 – Monte Castelo 130

    OBS. O site não arquiva o mapeamento do número de casos dos dias passados.

     

     

    Plano Emergencial de Empregos investe R$ 558 milhões em obras e compras públicas no MA

    O governador Flávio Dino anunciou, nesta quinta-feira (20), o início do Plano Emergencial de Empregos Celso Furtado, que destinará R$ 558 milhões para aquecer a economia maranhense, gerando emprego e renda aos maranhenses entre os meses de agosto e dezembro de 2020.

    “O Plano Emergencial Celso Furtado é vinculado a uma luta nacional para que o Governo Federal cumpra o papel que é seu de gestor da política econômica. Representa um esforço de várias fontes de recursos para que nós possamos cumprir o objetivo de zerar o efeito recessivo da pandemia do coronavírus. A nossa meta é gerar mais de 62 mil empregos entre agosto e dezembro deste ano; número de admissões formais semelhante ao alcançado nesse mesmo período, no ano anterior”, assegurou o governador.

    Infraestrutura e Educação

    Serão destinados R$ 219 milhões para recuperação e construção de rodovias estaduais, além de ampliação de avenida, reformas e modernização do Porto do Itaqui e manutenção de prédios públicos.

    Em obras educacionais serão investidos R$ 144 milhões em reformas de prédios escolares, construção de IEMA’s e ampliação da UEMA.

    Saúde/Cultura, Esporte e Lazer

    Na Saúde, são R$ 31 milhões para construção de policlínicas nos municípios de Santa Inês, Açailândia, Presidente Dutra, além do início das obras do Socorrão de Imperatriz, Hospital de Alcântara e Hospital Humberto Coutinho, em São Luís.

    Serão destinados R$ 79 milhões para construção e reforma de praças, obras esportivas, espaço de lazer para crianças, além de editais do setor cultural e implementação de leis de incentivo à cultura.

    Meio Ambiente e Habitação

    Projetos de novos parques ambientais, editais do programa Maranhão Verde, ações de combate aos incêndios florestais receberão R$ 36 milhões e na área de habitação serão investidos R$ 10 milhões com a nova fase do Cheque Minha Casa, que destinará 2 mil cheques, cada um no valor de R$ 5 mil para melhorias e reformas habitacionais.

    Segurança e Agricultura

    Para a modernização da segurança pública, em todo o estado serão viabilizados R$ 20 milhões.
    Na Agricultura, Agricultura Familiar e Pesca serão destinados R$ 12 milhões para compras de produtos, projetos de assistência técnica, regularização fundiária, pesca, aquicultura, equipamentos e sementes para a Agricultura.

    Mais Renda e Economia Solidária

    Para a aquisição de equipamentos destinados aos microempreendedores individuais do programa Mais Renda, o Governo investirá R$ 4 milhões e R$ 3 milhões serão destinados à aquisição de produtos, editais para compra de produtos de ações sociais e mutirões Rua Digna.

    O plano homenageia Celso Furtado, por sua preocupação pioneira com o desenvolvimento do Nordeste, mediante a criação da Sudene.

    “Celso Furtado completaria 100 anos este ano. Dentre tantos legados, ele dissertou sobre a importância do Maranhão para a economia do Nordeste, ainda nos anos 50”, disse o governador.

    Os recursos utilizados no Plano Emergencial de Empregos Celso Furtado são oriundos do Tesouro Estadual, EMAP, Fundo Escola Digna, Lei Aldir Blanc, Compensação Ambiental e decisão do STF, Fundo Nacional de Segurança Pública, Fundo Petrobras e Fundação Open Society.

    Além dos investimentos em compras e obras públicas, o Governo implementa medidas fiscais como anistia, parcelamento e desconto em multas e juros de créditos tributários, além da criação do Programa Emprego Jovem que beneficiará, inicialmente, 2 mil jovens maranhenses.

    “No ano que vem desejamos lançar a segunda fase do plano. Empenharemos todos os nossos esforços para a concretização dessas metas. Estamos falando de dezenas de empresas trabalhando nessas obras, com milhares de trabalhadores que trabalharão diretamente no setor da construção civil. Estamos falando de compras, de estimulo à economia solidária. Um pacto nacional pelo emprego, esta é a agenda do Brasil”, concluiu o governador.

     

  • Deu no D.O

    • A coluna Deu no D.O. está no ar com os generosos contratos dos nossos divinos gestores públicos. Dos caixões (R$ 214 mil) de Itapecuru-Mirim ao material de limpeza de Coroatá (R$ 2 milhões), ainda figuram Viana, Matões, Porto Rico e São José de Ribamar. 
  • Fale com o Garrone

    (98) 99116-8479 raimundogarrone@uol.com.br
  • Rádio Timbira

    Rádio Timbira Ao Vivo